domingo, 25 de março de 2018

Lula: "Eu não vou ser preso e vou vencer as eleições de outubro”

Declaração do ex-presidente, foi feita na cidade de São Leopoldo, última parada da tumultuada 
passagem de Lula pelo Rio Grande do Sul. (Folhapress – Foto: Diego Vara/Reuters).

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do Partido dos Trabalhadores (PT), afirmou na última sexta-feira (23) que tem certeza de que não vai ser preso, e que, se for candidato, vai vencer as eleições no primeiro turno. "Eu não vou ser preso porque não cometi nenhum crime e eu tenho certeza de que nesse país haverá justiça".

A declaração foi feita em São Leopoldo, última parada da tumultuada passagem de Lula pelo Rio Grande do Sul. No discurso realizado em um palanque próximo ao Ginásio Municipal, o ex-presidente também fez um aceno ao PC do B e ao PSOL, ao afirmar que estaria junto de Manuela d'Ávila e de Boulos em "algum momento".

Manuela, pré-candidatura do partido comunista, chegou a discursar ao lado dos políticos petistas. O evento também foi marcado por um ato de desagravo ao ex-presidente, que vem enfrentando protestos ao longo de sua passagem pelo Rio Grande do Sul.

O senador Paulo Paim (PT-RS) disse que aqueles que bloquearam rodovias para impedir a passagem da caravana são uma minoria que não representa os gaúchos. Apoiadores do ex-presidente esperavam a chegada de Lula no centro de São Leopoldo, quando foram surpreendidos por um avião que levava uma faixa onde se lia: "Lula o Brasil te quer em cana". A reportagem não conseguiu confirmar quem está por trás da provocação.

O grupo, em sua maioria, era de apoiadores do deputado Jair Bolsonaro. Informados pelo rádio, eles usaram tratores e queimaram pneus para obstruir a passagem da caravana. A Brigada Militar usou bombas de gás lacrimogêneo para dissipar os manifestantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário