quinta-feira, 15 de março de 2018

Ciro Gomes: “Na economia, eu e Dilma somos como água e vinho”

Em São Paulo, Pré-candidato do PDT à Presidência procurou ainda se distanciar da política econômica do 
segundo mandato de Lula, de quem foi ministro. (Estadão Conteúdo – Foto: Alan Sampaio / iG Brasília).

O pré-candidato do PDT à Presidência da República, Ciro Gomes, procurou nesta quarta-feira (14) se distanciar da política econômica do segundo mandato do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de quem foi ministro, e das gestões de Dilma Rousseff. Segundo o pedetista, que fez questão de criticar medidas como as isenções praticadas nos governos petistas, ele e Dilma são como "água e vinho" na questão econômica.

Ciro atribuiu a comparação que tem sido feita por alguns agentes políticos entre ele e a ex-presidente à luta política no Brasil e o clima de confronto entre "coxinhas e mortadelas". "Começou a luta, então a ideia é satanizar, porque é recente a frustração de todos com o que aconteceu no governo Dilma. E qualquer um que não seja coxinha, tem que ser mortadela. E eu vou resistir: não sou coxinha nem mortadela", afirmou, em evento com empresários promovido pela Amcham na capital paulista.

Ciro foi questionado sobre o papel do economista e professor da FGV Nelson Marconi, apontado como integrante de sua equipe de campanha e que afirmou ser um "desenvolvimentista", ideal ligado ao governo Dilma. "Marconi não é coordenador do meu programa econômico. É uma pessoa brilhante que vem coordenar meu plano de governo. Quem faz a minha cabeça em matéria econômica é o Mauro Benevides Filho (secretário da Fazenda do Ceará) e o (ex-ministro) Mangabeira Unger", afirmou, apontando para os dois, que estavam presentes na plateia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário