quarta-feira, 7 de março de 2018

Alepe reconhece utilidade pública de associações de Garanhuns

Clodoaldo Magalhães: “Reconhecimento, oficializa que essas entidades fazem 
um trabalho importante para a sociedade pernambucana”. (Alepe).

Duas associações sediadas aqui em Garanhuns, tiveram declarações de utilidade pública aprovadas pela Comissão de Finanças da Assembleia Legislativa na reunião desta quarta-feira (7). As propostas de lei pretendem habilitar a organização não governamental (ONG) Plenitude Viva e a Associação dos Deficientes Visuais do Agreste Meridional de Pernambuco (Advampe) para receber verbas estaduais.

“O reconhecimento de utilidade pública oficializa que essas entidades fazem um trabalho importante para a sociedade pernambucana. Com isso, elas podem executar programas previstos no Orçamento público e receber recursos de emendas parlamentares”, explica Clodoaldo Magalhães (PSB), presidente do colegiado.

O Projeto de Lei (PL) nº 1520/2017, de autoria do deputado Bispo Ossesio Silva (PRB), reconhece a utilidade pública da ONG Plenitude Viva. A associação, fundada em 2013, oferece cursos para 75 crianças e adolescentes no contraturno escolar, apoio e doações para 140 famílias em situação de vulnerabilidade e, ainda, atende uma média de 15 moradores de rua por semana, segundo a justificativa.

Quanto ao PL de nº 1795/2017, de autoria do deputado Paulinho Tomé (PT), ele propõe o benefício para a Advampe, instituição fundada em 2001 por um grupo de pessoas cegas e com baixa visão dos municípios de Angelim, Correntes, Lajedo e Garanhuns. Atualmente, mais de 190 pessoas com deficiência visual e outras deficiências são atendidas pela entidade, conforme ressalta o projeto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário