sábado, 13 de janeiro de 2018

Bolsonaro sobre o seu auxílio moradia: “Usei pra comer gente”

Jair: “Eu vou morar numa mansão, não vou pagar segurança, não vou pagar IPTU, 
no meu eu pago”. (Folha de Pernambuco/Juliana Cipriani – Foto: Lula Marques/Agência PT).

O deputado federal eleito pelo PSC do Rio de Janeiro, Jair Messias Bolsonaro, pré-candidato à Presidência da República, defendeu na última quinta-feira, 11 de janeiro, o uso do auxílio-moradia de R$ 4.253,00 pago aos parlamentares federais, além dos R$ 33.763 de salário. O presidenciável, que recebe a verba mesmo tendo imóvel próprio em Brasília, afirmou que, como era solteiro, usou o dinheiro para “comer gente”.

Em entrevista a repórteres da Folha de São Paulo na frente de sua casa em Angra dos Reis, onde foi pego de surpresa, Bolsonaro afirmou que pretende vender seu apartamento em Brasília para usar um apartamento da Câmara dos Deputados e, com isso, deixar de usar o auxílio. “Inclusive tem mais ou menos 60 m² o meu apartamento e vou passar para um de 200 m². Espero que pegue com hidromassagem, ok? Eu vou morar numa mansão, não vou pagar segurança, não vou pagar IPTU, no meu eu pago”, disse. 

Ao ser confrontado, o pré-candidato, que agora é filiado ao PSL, "em Pernambuco, de Luciano Bivar", negou ter usado verba do auxílio para financiar um de seus apartamentos. “Como eu estava solteiro naquela época, esse dinheiro de auxílio-moradia eu usava para comer gente. Tá satisfeita agora ou não?”, respondeu. Bolsonaro disse ainda que aquela era a resposta que a repórter merecia e perguntou se ela queria que ele prestasse “continha”.

Sobre sonegar impostos,algo que ele assegurou que fazia, em entrevista em 1999, eleafirma agora, que naquela ocasião, foi um “desabafo”. “Falei sonego tudo o que é possível. Como posso sonegar o ICMS, por exemplo?”, questionou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário