terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Associação de juízes federais pede reforço em julgamento de Lula

Julgamento do recurso do ex-presidente, está marcado para o dia 24 deste mês. Preocupação da associação,
decorre de ameaças feitas pela internet, aos magistrados do caso. (Folhapress – Foto: Ricardo Stuckert).

Em visita à ministra Cármen Lúcia no STF (Supremo Tribunal Federal) nesta segunda (15), o presidente da Ajufe (Associação dos Juízes Federais do Brasil), Roberto Veloso, pediu reforço de segurança para o prédio e os juízes do TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região) em razão do julgamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Veloso disse estar "muito preocupado" com as ameaças de que teve conhecimento, sobretudo as veiculadas em redes sociais. Ele disse que levará a diretoria da Ajufe para visitar o TRF-4 no próximo dia 22 para "prestar solidariedade ao tribunal". O julgamento do recurso do ex-presidente Lula está marcado para o dia 24 deste mês de janeiro.

O representante dos juízes federais levou ainda na tarde de ontem, um pedido de providências ao ministro da Justiça, Torquato Jardim. "Levamos um pedido para que ele [Jardim] tome medidas acautelatórias e apure as responsabilidades já dos atos convocatórios. Primeiro, se o patrimônio público está ameaçado, é preciso que os órgãos da segurança pública, tanto o federal quanto o estadual, tomem as providências no sentido de garantir que os prédios públicos sejam preservados. Segundo, a questão da segurança dos magistrados, porque uma das principais questões que a Ajufe defende e defenderá sempre é a independência dos nossos juízes em todo o Brasil", declarou.

"A ministra [Cármen Lúcia] falou que o CNJ [Conselho Nacional de Justiça] é o órgão [do Judiciário] encarregado da segurança dos prédios públicos. Diante disso, nós encaminhamos, hoje, um ofício ao CNJ pedindo providências". De acordo com Veloso, os magistrados do TRF-4 e seus familiares já tiveram sua segurança reforçada, tanto por agentes do próprio tribunal como da Polícia Federal. Na manhã desta segunda, Cármen Lúcia também recebeu no Supremo o presidente do TRF-4, o desembargador federal Carlos Eduardo Thompson Flores, para tratar da segurança no dia do julgamento. Às 16h30, houve uma audiência entre o desembargador e a procuradora-geral, Raquel Dodge.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário