terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Lula: “Vou continuar a desafiar Moro, o MPF e a Polícia Federal”

Ex-presidente vem desafiado o juiz federal, no sentido dele  apresentar, como ele próprio 
costuma dizer: “um centavo de deslize que ele tenha cometido”. (Folha Política).

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse, nesta terça-feira (5), que vai continuar desafiando o juiz Federal Sérgio Moro, o Ministério Público Federal, e a própria Polícia Federal a apresentar provas contra ele. Em um discurso endereçado a estudantes e apoiadores, Lula recomendou que seus simpatizantes prestem atenção no que ouvem porque, segundo ele, "a mentira hoje chega em tempo real".

"Olha o que estão fazendo comigo neste momento. Eu poderia estar nervoso. Poderia estar irritado. Sei o que querem", afirmou. O discurso aconteceu um dia depois de o desembargador João Pedro Gebran Neto concluir seu voto sobre recurso apresentado pelo petista TRF-4 (Tribunal Regional Federal) após a condenação no caso do tríplex.

Condenação - O ex-Presidente Lula, para quem não se recorda, foi condenado pelo juiz Sergio Moro, em primeira instância, e recorreu ao Tribunal Regional Federal em Porto Alegre. Sem mencionar a decisão, Lula aconselhou os militantes a não se preocuparem. "Não se preocupem comigo. Vocês sabem que tenho nove processos. Nove. O processo contra o Lula é o processo contra as coisas que fizemos no governo", afirmou ele.

O ex-presidente disse ter desafiado Moro a apresentar um centavo de deslize que tenha cometido. Minutos depois, arrematou: "Vou continuar desafiando o juiz, o promotor e a Polícia Federal". Após relatar aos simpatizantes detalhes da operação da PF em sua casa e nas de seus filhos, Lula voltou a cobrar um pedido de desculpas dos agentes da Lava Jato. Disse que, quando encontram evidências, "fazem um carnaval. Quando não encontram, ficam em silêncio". "Eles resolveram brigar comigo. Resolvi enfrentá-los".

Adiada decisão sobre denúncia contra Bezerra Coelho na Lava Jato

Caso começou a ser julgado nesta terça-feira (5). Senador pernambucano, é acusado de ter recebido 
R$ 41,5 milhões em propina da Queiroz Galvão, OAS e Camargo Corrêa. (Folhapress).

A segunda turma do STF (Supremo Tribunal Federal) adiou a decisão sobre se o senador Fernando Bezerra Coelho (PMDB-PE) deve virar réu na Lava Jato. Ele foi acusado de ter recebido R$ 41,5 milhões em propina da Queiroz Galvão, OAS e Camargo Corrêa, contratadas pela Petrobras para a construção da refinaria de Abreu Lima.

O caso começou a ser julgado nesta terça-feira (5), mas, devido a um empate de dois a dois, os magistrados decidiram esperar o retorno do colega Ricardo Lewandowski, que está de licença médica e não participou da sessão. Os ministros Gilmar Mendes e Dias Toffoli votaram por rejeitar a denúncia, por considerar que a peça é fraca.

Relator da Lava Jato no STF, Edson Fachin votou a favor de que o senador responda pelas acusações. Ele foi seguido por Celso de Mello, o mais antigo da corte. Gilmar defendeu que o resultado fosse proclamado a favor do réu, mas os colegas consideraram que, por se tratar de recebimento de denúncia, o ideal seria esperar Lewandowski.

Felipe Lima assume Secretaria de Patrimônio da União em PE

Felipe: “Precisamos elaborar uma agenda positiva para a SPU no Estado de Pernambuco, 
destacando ações importantes que influenciam diretamente na organização urbana”.

O advogado e professor Felipe Ferreira Lima (foto acima), que qui no Estado, integra os quadros do Partido Popular Socialista (PPS), é o novo superintendente da Secretaria do Patrimônio da União (SPU) em Pernambuco. O órgão é vinculado ao Ministério do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão. A nomeação do pós-comunista foi publicada nesta segunda-feira (04) no Diário Oficial da União (DOU).

Ferreira Lima cumprirá sua primeira missão pelo órgão já entre os dias 06 e 08 de dezembro deste ano, na capital federal,  Brasília, quando participará de reuniões de planejamento estratégico da SPU para 2018. O órgão é responsável por administrar, fiscalizar e outorgar a utilização, nas condições permitidas em lei, dos imóveis da União, em cumprimento com as questões socioambientais e estratégicas. 

“Precisamos elaborar uma agenda positiva para a SPU no Estado de Pernambuco, destacando ações importantes que influenciam diretamente na organização urbana, social e ambiental dos nossos municípios. É necessário, dentro dos limites da lei, ir além das medidas meramente burocráticas”, defende ele.

Silvio: “Atraso no término de barragens traz risco à população”

Segundo deputado, nos últimos três anos, Governo do Estado gastou cerca de R$ 300 milhões em
investimentos de segunda necessidade, ao invés de concluir as barragens na Mata Sul do Estado. (Alepe).

As obras inacabadas de barragens para contenção de enchentes na Mata Sul foram destacadas pelo deputado Estadual pernambucano, líder da Oposição, Sílvio Costa Filho (PRB), no Grande Expediente desta segunda (4), da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Segundo o parlamentar, a falta de conclusão das construções pode colocar a população da região em risco, caso hajam novas cheias.

Após as enchentes de 2010, foram projetadas para a Mata Sul as barragens de Serro Azul, em Palmares; Panelas, em Cupira; Gatos, em Lagoa dos Gatos; Guabiraba, em Barra de Guabiraba; e Igarapeba, em São Benedito do Sul. Dessas, apenas a primeira foi concluída. “Visitamos vários municípios da região na última quinta (30), e as pessoas pediram medidas emergenciais para tirar esses projetos do papel. Faltam R$ 534 milhões para terminar essas obras, mas só há R$ 30 milhões disponíveis no orçamento do Estado para o próximo ano”, alertou Costa Filho.

“Nos últimos três anos, entretanto, o Governo gastou R$ 120 milhões na Arena de Pernambuco, R$ 120 milhões em propaganda e R$ 60 milhões em consultorias, o que, somando, dá R$ 300 milhões. Isso mostra a falta de prioridade e a desatenção da gestão com a região”, criticou o parlamentar oposicionista. “Mesmo os governos petistas da Bahia e do Ceará conseguiram ampliar suas operações de crédito junto ao Governo Federal. A gestão do PSB aqui em Pernambuco é que não dá sinais de que vai buscar recursos para entregar aquilo que prometeu”, cravou Silvio.

"Temer ainda quer destruir o Mais Médicos”, alerta Humberto Costa

Para Costa, a estratégia do governo é asfixiar o programa, tomando iniciativas como 
de proibir novos cursos de medicina pelos próximos cinco anos. (Foto: Roberto Stuckert Filho).

Extremamente satisfeito com a validação do Supremo Tribunal Federal (STF) ao Mais Médicos, programa criado por Dilma que revolucionou a área de saúde, principalmente nos rincões do país, e beneficiou mais de 70 milhões de brasileiros, o líder da Oposição no Senado, Humberto Costa, do Partido dos Trabalhadores de Pernambuco, , alertou, nesta segunda-feira (4), que o governo Temer segue determinado a desmontá-lo.

O senador deu como exemplo Mendonça Filho (PE), atual ministro da Educação de Temer, que é do Democratas e foi uma das vozes que queriam destruir o Mais Médicos quando foi lançado, ainda no ano de 2013: “é um ativo agente desse governo nefasto comprometido com o atraso e com o fim dos avanços sociais conquistados”.

Para Humberto, a estratégia do governo é asfixiar o programa, tomando iniciativas como a de proibir novos cursos de medicina pelos próximos cinco anos. “As ações de Mendonça no MEC contra o ProUni, o Fies, o Ciência sem Fronteiras e, mais recentemente, contra o Mais Médicos, demonstram bem isso. É dele a recente portaria que suspende a abertura de novas vagas em medicina no Brasil durante meia década, devolvendo o país à condição de escassez profissional da qual Dilma o tentou retirar”, afirmou.