domingo, 26 de novembro de 2017

Pernambuco ocupa o 3º lugar na geração de empregos no Brasil

Em outubro, quando o Caged realizou o levantamento, onde PE aparece entre os três melhores - setores que
mais contrataram aqui no Estado foram: a indústria da transformação, agropecuária, serviços e o comércio.

De acordo com o levantamento nacional do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), o Estado de Pernambuco está no ranking que apresenta os três Estados que mais geraram empregos no Brasil, no mês de outubro. Segundo o Caged, o estado pernambucano, que aparece na 3ª colocação, admitiu 36.056 novos profissionais, gerando assim, um saldo positivo de 8.718 novos empregos formais – algo que significa um crescimento de 0,70%; e ainda confirma a tendência de recuperação do mercado de trabalho local, iniciada a partir do mês de junho deste ano. 

Os setores de maior demanda, segundo aponta o Caged, foram: a indústria da transformação (+ 3.665), a agropecuária (+ 3.219), sob a influência da agroindústria canavieira, serviços (+ 891) e comércio (+764). O Estado ficou atrás apenas de Alagoas e São Paulo, que tiveram, respectivamente, 16.393 e 11.349 novos postos de trabalho. Em Pernambuco, os municípios que mais geraram novos postos de trabalho em números percentuais foram Ribeirão com 371 novos postos de trabalho, seguido por Água Preta (+ 99), Barreiros (+239), Sirinhaém (+522) e Moreno (+356). 

EM BUSCA DE UMA VAGA DE TRABALHAO - Quem estiver procurando emprego, pode se dirigir a uma das 29 unidades de atendimento da Agência do Trabalho mantidas em todo o Estado pela Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Trabalho e Qualificação do Governo de Pernambuco. A Agência do Trabalho segue as diretrizes do Sistema Nacional de Emprego - SINE, de forma integrada em todas as unidades, mediante aprovação de suas ações pela Comissão Estadual de Emprego (CEE-PE). Além disso, diariamente são divulgadas vagas de emprego no site www.sempetq.pe.gov.br.

A Agência oferece à população serviços que proporcionam sua inserção ou reinserção no mercado de trabalho, contemplando desde a emissão de Carteira de Trabalho e Previdência Social - CTPS, ao encaminhamento à vagas de emprego disponíveis, assim como à habilitação ao Seguro Desemprego.

Derrubado veto que encerraria incentivos fiscais para o audiovisual

Humberto Costa: “Foi uma vitória muito importante para os brasileiros. Estamos assegurando que haverá
recursos para que os profissionais da área continuem produzindo”. (Foto: Roberto Stuckert Filho).

Depois de articular intensamente, nas últimas semanas, a derrubada do veto à proposta que prorrogava incentivos fiscais à indústria do audiovisual até 2019 com cineastas, profissionais do setor e com os presidentes da República, Michel Temer (PMDB), do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), e da Câmara, Rodrigo Maia, do DEM do Rio de Janeiro, o líder da Oposição no Senado Federal, Humberto Costa (PT-PE), comemorou o resultado da votação da noite da última quarta-feira (22) no Congresso Nacional.

Os deputados derrubaram o veto e, por unanimidade, os senadores ratificaram a decisão, que, agora, restabelece a política de incentivo ao setor. Na avaliação do Senador Humberto Costa, o veto foi feito de maneira equivocada pelo Palácio do Planalto, pois “assassinava” toda a cadeia produtiva do cinema brasileiro, responsável pela geração de mais de 250 mil empregos diretos e indiretos. Agora, os incentivos fiscais previstos para o audiovisual não serão mais encerrados no fim deste ano.

“Foi uma vitória muito importante para todos os brasileiros. Estamos assegurando que haverá recursos para que os nossos profissionais da área continuem produzindo com muita criatividade, qualidade de produção e de expressão artística”, resumiu Humberto.

O líder da Oposição observou que, graças ao Regime Especial de Tributação para Desenvolvimento da Atividade de Exibição Cinematográfica (Recine), entre 2012 e 2016, mais de mil salas de cinema foram implantadas no país, graças à expansão das produções nacionais. “Pernambuco, por exemplo, fez reflorescer a sua indústria cinematográfica e, hoje, é uma referência nessa área”, ressaltou.

O parlamentar vai trabalhar para a aprovação da Medida Provisória (MP) do Recine, que está sob análise de uma comissão mista no Congresso, da qual Humberto faz parte. A proposta só foi editada pelo governo graças à intensa pressão de artistas e parlamentares contra o veto. Humberto acredita que o Congresso fez justiça não apenas ao audiovisual, mas, também, deu um gesto importante em favor da educação e da cultura.

Briga pela gestão de dinheiro, afastou Daniel da tesouraria do PSDB

Ano que vem, tesoureiros dos partidos brasileiros, vão administrar R$ 2,3 bilhões do erário, 
que bancará candidatos no País inteiro. (Paulo Veras / Foto: Gustavo Lima/Câmara dos Deputados).

Na primeira eleição presidencial e para governadores sem doações de empresas, que ocorrerá no Brasil, ano que vem, 2018, o dinheiro público que se encarregará de financiar a disputa passará necessariamente pela mão de tesoureiros nacionais e estaduais dos partidos. São eles que vão administrar o volume de R$ 2,3 bilhões do erário que bancará candidatos no País inteiro. A cifra é a soma entre os R$ 888 milhões do fundo partidário e os R$ 1,5 bilhão do novo fundo de financiamento da democracia.

Aqui em Pernambuco, foi a disputa por esse cargo que levou à ruptura pública entre os deputados federais Daniel Coelho (foto acima) e Bruno Araújo, próceres do PSDB. Chefiar a tesouraria de um partido grande em 2018 significa ter poder para decidir que candidatos serão agraciados com recursos decisivos na campanha eleitoral. Entre 2014 e 2016, o valor de fundo partidário recebido por 18 partidos em Pernambuco mais do que triplicou; saltou de R$ 5,2 milhões para R$ 18,3 milhões de reais.

A tesouraria é também uma área extremamente complicada. Nacionalmente, três ex-tesoureiros do Partido dos Trabalhadores (PT), foram presos por condenações em escândalos de corrupção ou operações da Polícia Federal: Delúbio Soares, João Vaccari Neto e Paulo Ferreira. O PMDB teve como tesoureiro nacional o ex-deputado federal Rodrigo Rocha Loures, flagrado correndo com uma mala de dinheiro entregue pela JBS.

Em Pernambuco, o PSB tem como 1º Secretário de Finanças o coronel Mário Cavalcanti de Albuquerque, alvo da Operação Torrentes. Segundo o PSB, ele só assumiu o posto em fevereiro de 2017, após a renúncia do nome anterior, sendo reconduzido ao cargo em agosto. A sigla faz questão de lembrar que ele não tinha participação na gestão financeira da campanha de 2014 e que a Executiva é um órgão colegiado, com suas demandas sendo discutidas entre os integrantes.

PE: Deputado tira 'Deus' de PL que proíbe exposições com nudez

Filmes e vídeos com 'teor pornográfico' não serão mais proibidos e justificativa contra 
exposições com nudez não cita mais 'Deus'. (JC Online / Foto: Divulgação).

Após a polêmica e a forte resistência no meio artístico, o deputado estadual pernambucano Ricardo Costa, que integra os quadros do PMDB, retirou da justificativa do projeto de lei de sua autoria, que proíbe exposições artísticas e culturais de nudez com "teor pornográfico" em espaços públicos no Estado de Pernambuco. Um substitutivo apresentado pelo peemedebista faz alterações pontuais no texto. A principal delas é a que deixa de proibir a exibição de "filmes e vídeos" que insinuem o ato sexual humano ou animal. O primeiro projeto também proibia fotografias, textos, desenhos, pinturas e estátuas.

Outra mudança, diz respeito a multa prevista para quem descumprir a regra. Ela agora, deixa de ser calculada em 5 mil UFIRs (Unidade de Referência Fiscal) e passa a ser de R$ 10 mil. As UFIRs deixaram de ser usadas em 2000, quando valiam R$ 1,0641.

A justificativa da proposta também mudou. Os parágrafos que citavam "o vilipêndio aos símbolos religiosos" e a destruição da "Sagrada Instituição, chamada FAMÍLIA; O BEM MAIOR, que DEUS concedeu à humanidade" foram retirados da proposta.

No lugar deles, foi incluído um novo trecho que reconhece o caráter crítico da arte. "É evidente que a arte pode ter seu caráter crítico e também ser um meio de conscientização política, contudo, após algumas manifestações artísticas causarem polêmica pela exposição de atos obscenos e outras envolvendo menores de idade em exposições onde um ator se encontrava totalmente nu, também torna inegável a necessidade da atuação do poder público para evitar que as manifestações artísticas de cunho sexual sejam promovidas em espaços públicos", diz a nova justificativa.

Resistência - A proposta de Ricardo Costa enfrentou forte resistência da classe artística. Artistas como Raimundo Carrero, Cida Pedrosa, Leidson Ferraz e Renato Valle vieram a público criticar a medida. A Secretaria Estadual da Cultura e a Fundarpe divulgaram cartas de repúdio ao projeto. O deputado federal Jarbas Vasconcelos, cacique do PMDB, se colocou contra a proposta.

O projeto já está em tramitação na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). Ele precisará passar por cinco comissões antes de ir a votação no plenário.

Daniel: "Se Alckmin disser que é candidato, não haverá disputa"

De acordo com declarações do Deputado Federal Pernambuco pelo PSDB, quem 
tem condições de comandar a legenda nacionalmente, é Tarsso Jereissati. (Renata Melo).

O deputado federal pernambucano, Daniel Coelho está entre os que apoiam a postulação do senador Tasso Jereissati à presidência nacional do PSDB. É taxativo ao defender que o partido, no momento, "não precisa de conciliação, precisa de conflito". E reforça: "Precisa de conflito interno para se reposicionar junto à sociedade". E quem tem condição de fazer isso, aos olhos de Daniel, é Tasso. "O afastamento completo dessa parte fisiológica do PMDB, do governo Temer, é um reposicionamento, que precisa ser feito e a gente precisa de alguém para fazer", pondera o parlamentar.

E se Geraldo Alckmin se apresentar como alternativa ao comando da sigla? Daniel devolve: "Claro, se ele disser que é o candidato à presidência do partido, não tem como Tasso disputar. Realmente, não haverá disputa". Daniel fez as observações em entrevista à Renata Melo e Daniel Leite, na coluna digital "No Cafezinho", que foi ao ar, no último sábado, no Blog da Folha. No caso de Alckmin virar candidato à presidência do PSDB, Daniel adverte: "Uma candidatura de Alckmin seria, exatamente, colocá-lo na situação de ser candidato a presidente, mas de não quebrar os ovos internamente para poder fazer o omelete, de não entrar em conflito, mas estamos precisando de conflito".

       Confira, a entrevista, abaixo:

Pernambucano Mendonça Filho recebe prêmio de educador do ano

Mendonça sobre receber o Prêmio: “É mais do que gratificante. Isso é um estímulo 
continuar o trabalho”. ( Portal Folha PE / Foto: Valter Campanato / Agência Brasil).

O ministro da Educação, o pernambucano Mendonça Filho, recebeu, na última sexta-feira (24), o Prêmio Fernando de Azevedo – Educador do Ano 2016, em reconhecimento à sua contribuição no desenvolvimento da educação brasileira. Em nota, o ministro afirmou que receber o prêmio é “mais do que gratificante”. Mendonça ainda diz que o reconhecimento é “um estímulo a continuar o trabalho”. A premiação é concedida desde 1992 pela Academia Brasileira de Educação (ABE). 

Há um ano e meio à frente do Ministério da Educação (MEC), Mendonça ressaltou a reforma do ensino médio e a Política de Indução das Escolas em Tempo Integral como legado da sua gestão para o Brasil. “Enquanto a educação não for uma agenda da sociedade brasileira, não alcançaremos as mudanças profundas e necessárias. Em um Brasil dividido por divergências políticas e ideológicas, defendo que a educação deve ser o grande vetor de convergência nacional”, afirmou o ministro em nota divulgada pelo MEC.

Governador empossa Clovis Benevides em Desenvolvimento Social

Desde maio de 2007, novo titular da pasta, ocupava o cargo de diretor do Senad, órgão 
vinculado ao Ministério da Justiça. (G1 Pernambuco / Fotos: Hélia Scheppa/SEI).

A Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo do Estado de Pernambuco passou a ter um novo titular desde a última sexta-feira (24): o mineiro Cloves Benevides, de 39 anos. Cloves, que exercia a Diretoria de Articulação e Projetos do Ministério da Justiça, foi empossado pelo governador Paulo Câmara como secretário em cerimônia no Palácio do Campo das Princesas, na área central do Recife. Benevides substitui Roberto França, que vai para a Secretaria Executiva de Articulação da Casa Civil.

O novo titular da Secretaria de Desenvolvimento Social do Governo do Estado de Pernambuco ocupava o cargo de diretor de Articulação e Projetos da Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas (Senad), do Ministério da Justiça, desde maio de 2017. Antes, ainda em 2015, ele integrou a equipe de gestão do Executivo do Governo do Estado de Alagoas na função de secretário-adjunto de Políticas sobre Drogas e, em seguida, no cargo de secretário executivo de Coordenação das Políticas de Prevenção à Violência l, tendo atuado em áreas como políticas de prevenção social e sistema socioeducativo.

Até 2015, Cloves permaneceu na Subsecretaria de Políticas Sobre Drogas do Governo do Estado de Minas Gerais, estrutura vinculada à Secretaria de Estado de Esportes e Juventude e posteriormente as áreas de Desenvolvimento Social e Esportes e, em seguida, de Defesa Social, onde assumiu em 2003. “Dentre muitas funções exercidas, o novo secretário integrou diversos movimentos e entidades dentre elas, a Associação Brasileira para Prevenção do Abuso de Drogas e a Associação Nacional pela restrição da Propaganda de Bebidas Alcoólicas na qual integra a mesa diretora”, afirma a nota enviada pelo Governo de Pernambuco à imprensa.
.