sábado, 21 de outubro de 2017

PT aspira bancar Caravana de Lula no Brasil, através de “vaquinha”

PT passará a fazer pedidos focados em grandes temas. Novidade foi lançada nesta
sexta-feira (20), durante a reunião da Executiva da Sigla. (Camila Souza / Blog do Jamildo).

De acordo com a coluna Painel do jornal Folha de S. Paulo, o Partido dos Trabalhadores (PT) lançou uma campanha para arrecadar dinheiro para as caravanas do ex-presidente Lula (PT), chamada de “Caravana de Lula pelo Brasil”. O esforço faz parte de uma mudança na estratégia do partido petista, que decidiu rever a forma de buscar recursos.

Agora, o PT passará a fazer pedidos focados em grandes temas. A novidade foi lançada nesta sexta-feira (20), durante a reunião da Executiva da Sigla. Haverá mobilização nas redes a partir da próxima semana, com imagens da presidente do PT, Gleisi Hoffmann, de líderes petistas e das viagens de Lula.

O ex-presidente Lula já passou por nove estados do Nordeste e agora planeja viajar ao Sudeste do Brasil. O próximo local no roteiro é Minas Gerais, em que inclui 12 cidades ao longo de oito dias. O encerramento será em Belo Horizonte, em um ato na Praça da Estação, no dia 30 de outubro. Durante a caravana, em 27 de outubro, quando estará em Montes Claros, no norte de Minas, o petista completará 72 anos.

Lula tem usado a viagem para se defender da condenação do juiz Sérgio Moro, na Operação Lava Jato, a nove anos e seis meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Se o julgamento for mantido em segunda instância, Lula pode ser preso e ficar inelegível, não disputando em 2018, ao contrário do que planeja. Na mesma ação, o petista responde por também ter supostamente recebido da empreiteira terreno onde seria sediado o Instituto Lula. O ex-presidente nega a acusação do Ministério Público Federal (MPF).

Câmara de Caruaru instala Parede de R$ 4 mil e TV de R$ 14 mil

Outra novidade é que cada um dos 23 parlamentares ganhou um computador nas bancadas, para utilização
durante as reuniões. Lula Tôrres: “Estamos investindo no plenário”.  (G1 / Fotos: Edivaldo Coelho)

A Câmara de Vereadores de Caruaru, no Agreste de Pernambuco, realizou adaptações no plenário da Casa. Uma parede de vidro que custou R$ 4 mil foi colocada entre os vereadores e a galeria, onde fica o público que acompanha as reuniões. Outra novidade é que cada um dos 23 parlamentares ganhou um computador nas bancadas, para utilização durante as reuniões, no valor de cerca de R$ 800 cada.

Uma das aquisições que chamou mais atenção foi a de uma televisão, que fica atrás da mesa diretora e serve como placar eletrônico nas votações. Segundo o presidente de Câmara, Lula Tôrres (PDT) o aparelho custou cerca de R$ 14 mil. "Falo como vereador e administrador da Casa. Estamos investindo no plenário, compramos a televisão, os computadores. Precisamos resguardar mais aquele local. Lá acontecem as reuniões", disse.

Lula Tôrres comentou sobre a instalação dos vidros. Ele não considera que a parede afasta os vereadores da população. "Esses vidros não tiram o acesso do povo aos vereadores. Os gabinetes estão abertos, os vereadores atendem de manhã e a tarde. Tenho certeza que no futuro a população vai entender que essa é uma medida de zelo", disse.

Por meio de nota, a Câmara de Vereadores de Caruaru informou que o "intuito do novo equipamento é garantir segurança ao patrimônio público do município".
.

Joel e Zé Maurício se desentendem e Polícia separa briga na Alepe

Em meio a troca de críticas entre governo e oposição, durante Audiência Pública na Assembleia
os dois deputados começaram a gritar e colocar o dedo um na cara do outro. (Paulo Veras - JC Online).

Policiais militares e populares tiveram que separar uma discussão entre os deputados Joel da Harpa (PTN) e Zé Maurício (PP) durante uma audiência pública para debater o Pacto Pela Vida na Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), na tarde desta quinta-feira (19). A reunião acabou após o bate-boca entre deputados do governo e da oposição e pessoas que acompanhavam o debate. É a segunda vez neste ano que uma reunião para discutir a segurança pública na Alepe é encerrada por causa de discussões.

Em meio a troca de críticas entre os deputados de governo e os que compõe a oposição, Joel e Zé Maurício começaram a gritar e colocar o dedo um na cara do outro. Foi preciso que as pessoas que estavam ao lado, incluindo o deputado Ricardo Costa, que pertence ao PMDB, separassem os dois. Policiais militares entraram no meio entre os dois parlamentares, que continuaram gritando um com o outro, mesmo a distância.

Policiais também isolaram o púlpito do auditório Sérgio Guerra, no primeiro andar da nova sede da Alepe, onde estavam as autoridades que participavam da discussão. Governo e oposição trocaram acusações sobre quem iniciou o bate-boca. Enquanto a oposição acusa o governo de ter levado uma claque para tumultuar o debate, os governistas acusaram a oposição de querer evitar o debate. Parlamentares dos dois lados avaliaram como difícil que a Alepe volte a fazer uma reunião para discutir a violência.

Por causa da briga, nem representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), nem da sociedade civil, como sindicatos de policiais e o Gajope, conseguiram falar. Embora o caso entre Joel da Harpa e Zé Maurício tenha sido o mais grave, houve bate-boca (presenciado por muitos), entre outros deputados do governo e da oposição.

O que diz Zé Maurício? - No final da tarde, o deputado Zé Maurício divulgou uma nota de esclarecimento em que afirma que o desentendimento se deu por necessidade de se garantir, através da tentativa de diálogo com o deputado Joel da Harpa, o tempo reservado para pronunciamento dos demais integrantes da reunião.

O que diz Joel da Harpa? - Em conversa com o JC por telefone, o deputado Joel da Harpa afirmou não ter problema com o colega Zé Maurício, a não ser naquele momento em que os ânimos estavam mais exaltados. Ele também disse que o parlamentar do PP foi no seu gabinete após o encerramento da audiência e que os dois se entenderam.

Marília Arraes tem liderança questionada na Câmara do Recife

Vereadora tem rodado o estado cumprindo agenda política. Apesar de estar presente nas 
sessões ordinárias, ela vem sendo criticada por seu pouco destaque. (Ana Tenório/Blog da Folha).

A atuação da líder da oposição na Câmara dos Vereadores, Marília Arraes (PT), tem sido questionada por seus pares. A ausência da vereadora nas reuniões de comissão e debates na sessão plenária tem sido notada e comentada pelos corredores da Casa José Mariano entre integrantes do governo e da própria base. Em reserva, um dos aliados da petista afirmou que a parlamentar “tem mostrado certo desleixo a seu mandato e tem se poupado das discussões porque está focando em outros projetos pessoais”.

Na base do governo Geraldo Júlio na Câmara, o pensamento é compartilhado e até comemorado pelos governistas. A boca miúda, um vereador governista alfinetou a atuação da líder afirmando que “nunca esteve tão fácil os trâmites entre o legislativo e o executivo municipal. Muito disso é porque a liderança não propõe muitas discussões”. A parlamentar, que já está em seu terceiro mandato, apesar de se fazer presente nas sessões ordinárias, é criticada por seu pouco destaque.

Apesar disso, vereadores de oposição minimizam as críticas e saem em defesa da liderança. Um dos vice-líderes da oposição na casa, vereador Rinaldo Júnior, afirmou que a vereadora “tem cumprido seu papel. Eu só posso responder por meu mandato, a vereadora tem consciência do dela”. O vereador Ivan Moraes, que também é aliado de Marília, afirmou que a “oposição ao governo na câmara é composta por poucos vereadores, mas a gente consegue sim dar conta de tudo”.

Cumprindo agenda política no interior do Estado, a vereadora não pôde se fazer presente durante essa semana. Mas antes da partida chegou a participar da discussão em torno da Frente LGBT, proposta de sua autoria. A vereadora afirmou que as críticas não são cabíveis a sua atuação e que são “levianas, porque fazemos uma oposição responsável na casa. Não brigamos por brigar”.

Governo de PE reforça educação e segurança de Arcoverde

Na cidade, além de inaugurar o Campus definitivo UPE, Governador ainda fez a entrega de 
26 novas viaturas para o 3º BPM, que atente Arcoverde e outras 9 cidades da área.

Em visita ao Sertão do Moxotó, nesta sexta-feira (20), o governador Paulo Câmara entregou à população um conjunto de ações estruturadoras que vão reforçar as áreas de educação e segurança local. No início do dia, o chefe do Executivo estadual inaugurou o Campus definitivo da Universidade de Pernambuco – UPE no município de Arcoverde. O equipamento, que contou com um investimento de R$ 6,2 milhões, irá atender estudantes de 36 cidades pernambucanas e de outros sete municípios da Bahia, Sergipe, Alagoas, Piauí e Ceará. Na oportunidade, também foi lançado o edital de licitação para o concurso de 108 professores para a Universidade. Também foi realizada a entrega de viaturas ao 3º BPM para intensificar o policiamento em Arcoverde e região. 

Presente na comitiva do Governador Paulo Câmara em Arcoverde, o reitor da Universidade de Pernambuco, o professor Pedro Falcão, ressaltou a importância dos atendimentos gratuitos oferecidos à população local. "Já iniciaremos os atendimento às pessoas carentes da região com os serviços ofertados pela clínica de odontologia e com o núcleo de práticas jurídicas, que também está fazendo atendimento através dos nossos estudantes e professores do curso de Direito. No curso de Odontologia, nós já estamos atendendo cerca de 66 pessoas por dia. A partir do próximo ano, nós começaremos a realizar também pequenas cirurgias bucais", declarou.

SEGURANÇA – Também nesta sexta, o governador aproveitou a visita ao Sertão do Moxotó para realizar a entrega  de 26 novas viaturas ao 3° Batalhão da Polícia Militar, que passará a contar, agora, com um importante reforço para o combate à violência e ao crime organizado na região. Além de Arcoverde, o 3º BPM abrange as cidades de Buíque, Custódia, Ibimirim, Itaíba, Manari, Pedra, Sertânia, Tupanatinga e Venturosa – municípios que foram a Área Integrada de Segurança 19 (AIS-19). 

Ao agradecer o apoio que o Governo do Estado tem prestado ao município e região, a prefeita Madalena Brito reconheceu que, mesmo em um momento de crise, o trabalho continua avançando. "O governador Paulo Câmara, apesar de toda a crise que nós estamos atravessando no nosso País, está sempre procurando tirar lições das dificuldades e mostrar que o trabalho não pode parar. E isso ele está fazendo muito bem no nosso Estado. Pernambuco está crescendo, a educação avançou muito. E são entregas como essas que nós fizemos hoje que nos deixam muito animados a trabalhar ainda mais", frisou.
.

.

.