sexta-feira, 16 de junho de 2017

A pedido de Armando, Ministério da Justiça analisa liberação de R$ 1,1 milhão de reais para segurança da cidade de Igarassu

Solicitação do senador pernambucano foi feita no Ministério em audiência na última 
quarta-feira (14), acompanhado do prefeito, Mário Ricardo (PTB). (Com informações da Assessoria).

O secretário-executivo do Ministério da Justiça, José Levi do Amaral Júnior, vai analisar proposta de convênio com a Prefeitura de Igarassu para destinar R$ 1,1 milhão ao reforço da segurança pública no município. Os recursos, que virão do Fundo Nacional de Segurança Pública, se justificam porque Igarassu foi listada entre as 30 cidades mais violentas do país no Atlas da Violência 2017, divulgado recentemente pelo Ipea (Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas).

A solicitação foi feita pelo senador Armando Monteiro (PTB-PE), em audiência na quarta-feira (14), no Ministério, acompanhado do prefeito Mário Ricardo (PTB), que entregou o projeto de convênio. “Temos um olhar especial para os municípios”, assinalou Levi. O Atlas da Violência 2017 apontou uma taxa de 69,4 mortes por 100 mil habitantes/ano em Igarassu, o que equivale a mais de uma morte por semana.

“É um quadro dramático”, diagnosticou Armando ao secretário-executivo do Ministério da Justiça. Assinalou o senador petebista que o Pacto pela Vida retrocedeu em Pernambuco, que tem perspectiva de registrar seis mil homicídios este ano, índice maior, em ternos absolutos, do que todo estado de São Paulo, cuja população é mais de 4,5 vezes superior à pernambucana.

O projeto de convênio entregue por Mário Ricardo ao secretário Nacional de Segurança Pública, general Santos Cruz, que participou da audiência, prevê a implantação de uma central de inteligência e monitoramento municipal, ao custo de R$ 420 mil; aquisição de viaturas, com gastos previstos de R$ 361 mil, e compra de tasers e coletes para a guarda municipal de Igarassu, com despesas estimadas de R$ 334 mil. “São recursos modestos, mas essenciais,  que a prefeitura não dispõe”, argumentou Mário Ricardo.

Projeto Oftalmológico que distribui óculos gratuitamente, já atendeu cerca de 300 crianças da rede municipal de ensino

Dentro do Projeto, Médicos realizam exames oftalmológicos completos, e os óculos 
são entregues em 24 horas. (Com informações e imagens de Edméa Ubirajara / Secom/PMG).

Uma visão. A tradução literal do nome do Projeto One Sight deixa clara a missão de médicos brasileiros e estrangeiros em uma iniciativa da Fundação Altino Ventura (FAV) em parceria com a ONG One Sight, com o apoio de todos os 21 municípios que compõem a V Gerência Regional de Saúde (V Geres). 

       Até o momento, cerca de 300 alunos da rede municipal de ensino de Garanhuns já passaram pelos atendimentos oftalmológicos e outros 540 estão programados para os próximos dias. A chegada da iniciativa no município foi articulada pelas Secretarias Municipais de Saúde e Educação que trabalham de forma conjunta desde a triagem dos pequenos até o acompanhamento em tratamentos necessários posteriormente.

O trabalho começou há meses, quando os professores foram capacitados para realizar a triagem dos alunos. A FAV selecionou os 840 casos mais críticos das 47 unidades de ensino e os encaminhou para o atendimento na Associação Garanhuense de Atletismo (AGA) que vem sendo realizado esta semana. Lá, eles repetem o teste de acuidade visual, profissionais realizam exames específicos que podem detectar sinais de glaucoma, catarata ou outras doenças e o teste de refração que dará o grau do paciente.

O passo seguinte é a escolha dos óculos, também doados através do projeto. Os estudantes de Garanhuns recebem as próteses no dia seguinte no mesmo local onde realizaram os exames. Os caso mais graves e que necessitam de acompanhamento de especialistas são encaminhados para as Unidades Básicas de Saúde de onde residem para dar prosseguimento ao tratamento.

Para que todos tenham acesso ao projeto, a Secretaria de Educação montou um esquema de transporte escolar a fim de viabilizar o deslocamento, mesmo àqueles que residem em áreas mais distantes. Todos estão sendo acompanhados pela equipe gestora de cada escola. “Nesse momento, os médicos conseguem diagnosticar problemas que certamente no futuro poderiam ser agravados. Quanto à educação e qualidade de vida é uma melhora de 100% porque vai refletir na aprendizagem e na futura saúde de cada indivíduo”, explica Denise Silva, supervisora educacional. De acordo com o cronograma, haverá atendimento para a rede municipal de ensino nas próximas segunda (19), terça (20) e quarta-feira (21), em horários distintos.
.