quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Dois suspeitos, mas Gilmar, não aceita suspeição movida por Miller

Marcelo, é alvo de investigação por suposto jogo duplo em benefício da JBS à época em que 
ocupou cargo no Ministério Público Federal. (Estadão Conteúdo / Foto: André Dusek).

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes (foto acima), pediu à presidente da Corte, Cármen Lúcia, que negue ação de suspeição movida pelo ex-Procurador do Ministério Público Federal (MPF), Marcelo Miller. A defesa evocou suposta parcialidade de Gilmar para julgar habeas corpus do ex-integrante da força-tarefa Greenfield.

Miller requereu a suspeição de Gilmar no âmbito de um pedido que fez ao STF, para ficar em silêncio na CPI da JBS. Em sorteio, a relatoria caiu com o ministro, que acabou, posteriormente, acolhendo o pedido da defesa, permitindo que o ex-procurador não se pronunciasse sobre perguntas feitas aos parlamentares quando comparecesse Comissão.

Marcelo Miller é alvo de investigação por suposto jogo duplo em benefício da JBS à época em que ocupou cargo no Ministério Público Federal. Seu nome foi citado por Joesley Batista em um dos áudios em que o empresário confessa supostas omissões em sua delação e que culminaram com a rescisão de seu acordo com a PGR e o Supremo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário