quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Garanhuns ganhará Delegacia de Repressão ao Narcotráfico

Proposta, foi enviada à Alepe, pelo Governador, através de Projeto de Lei. Junto a outros dois PL's, 
Governo investirá R$ 290 milhões de reais na reestruturação da segurança Pública do Estado. (JC Online).

Três Projetos de Lei propondo a criação de novos batalhões de Polícia Militar, delegacias especializadas em repressão e combate ao narcotráfico e unidades de Polícia Científica foram encaminhados pelo Governo do Estado à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe). As propostas, previstas para serem votadas até o próximo dia 20 de dezembro, devem reforçar a segurança em 13 Municípios. O anúncio veio dois dias depois da divulgação dos números oficiais de homicídios de outubro.

Este ano, de acordo com números da Secretaria de Defesa Social, já são 4.576 mortes violentas. As propostas preveem a criação do 26º Batalhão de Polícia Militar, em Itapissuma, Grande Recife; do 2º Batalhão Integrado Especializado de Policiamento, em Petrolina, Sertão; e da 11ª Companhia Independente de Polícia Militar em Lajedo, Agreste. As Delegacias de Repressão ao Narcotráfico serão instaladas no Cabo de Santo Agostinho, Goiana, Vitória de Santo Antão, Caruaru, Garanhuns, Arcoverde, Serra Talhada, Ouricuri e Petrolina. Ainda segundo a proposta, as unidades de Polícia Científica vão para Nazaré da Mata, Palmares, Afogados da Ingazeira, Arcoverde, Salgueiro e Ouricuri.

O investimento será de R$ 290 milhões. De acordo com o secretário de Defesa Social, Antônio de Pádua, o efetivo dessas Unidades está em formação. “1.300 policiais militares devem terminar o curso no primeiro trimestre de 2018 e outros mil policiais civis devem ser formados até fevereiro.” Se aprovada na Assembleia Legislativa, a nova estrutura começa a funcionar no primeiro semestre do próximo ano. Com os índices apontando que Pernambuco fechará o ano com mais de 5 mil homicídios, o governador Paulo Câmara reforça estar trabalhando para mudar os números. “Ainda temos muito o que fazer, mas com essas ações, vamos chegar aonde desejamos, para termos um 2018 de paz”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário