sábado, 4 de novembro de 2017

Câmara realiza Audiência Pública sobre Ideologia de Gênero

Momento foi provocado, afim de aprofundar as discussões sobre o PL do vereador Audálio Filho, 
que visa barrar a implantação da disciplina Ideologia de Gênero nas escolas municipais.

Depois de ser apresentando pelo Vereador Audálio Filho, do PSDC, na última terça-feira, 31 de outubro, o Projeto de Lei que visa barrar a aplicação nas escolas públicas municipais, bem como nas privadas da disciplina Ideologia de Gênero, será discutido agora, através de uma Audiência Pública. Marcada para o próximo dia 14 de novembro, uma terça-feira, a Audiência ofertará espaço para inúmeros movimentos sociais, dentre eles, grupos pró e contra, além de denominações religiosas, a exemplo da 4ª Igreja Presbiteriana de Garanhuns, para um maior aprofundamento no debate.

Na terça (31), quando o legislativo garanhuense colocou em discussão o PL aspirado pelo Vereador Audálio, não faltou espaço para grupos da sociedade civil local se posicionarem: parte, contra, outra a favor. O Plano Municipal de Educação (PME), discutido e aprovado ainda em 2015, prevê a exclusão dessa disciplina, ao passo que agora, Audálio quer massificar ainda mais a exclusão desse ensino das escolas. Manifestações pró e contra, ocorreram em frente a Câmara, na última terça, com espaço para um amplo debate no Plenário Álvaro Brasileiro. Faixas e cartazes foram erguidos em apoio, ao mesmo tempo em que alguns outros, se apresentaram contra.

O Movimento “Direita Garanhuns”, que defende aqui no município, a pré candidatura do capitão do Exército, atual Deputado Federal pelo Estado do Rio de Janeiro, Jair Messias Bolsonaro, registrou presença, através de um de seus líderes, o empresário Marcelo Torreão. Padres, Bispos, Pastores, além de cidadãos comuns, estão envolvidos no tema e a julgar pelo público presente a Câmara nas primeiras discussões, a casa deve lotar nas próximas ocasiões, em que esse mote for levado à análise.
.

De acordo com a proposta de Audálio, fica terminantemente proibido na grade curricular de ensino da rede municipal, a disciplina denominada ideologia de gênero, bem como toda e qualquer disciplina que tente orientar a sexualidade dos alunos ou que tente extinguir o gênero feminino e masculino como gênero humano.

Contrário a postura do vereador Audálio Filho, o Movimento Coletivo LGBT, da Universidade de Pernambuco (UPE), em parceria com a Universidade Federal, Campus Rural  aqui em Garanhuns (UAG), alega que a chamada “Ideologia de Gênero”, supostamente não existe, sendo assim, não está de fato sendo discutida. De acordo com o movimento, tanto a sexualidade como a ideologia de gênero, não se apresentam como escolha, mas sim como algo intrínseco ao ser humano (nato de alguém). “A Ignorância é que traz esses problemas”, defende um integrante do movimento.
.

Projeto de Audálio estaria estimulando o ódio – Apesar de contar com ampla maioria da sociedade de Garanhuns apoiando seu Projeto de Lei, o Vereador Audálio Ramos, foi acusado, pelo seu colega parlamentar, Marinho da Estiva, do PHS, de estar estimulando o ódio. Segundo Marinho, Audálio, através do seu Projeto, também estaria despertando preconceito, assim como homofobia, e pior: num momento delicado da história política brasileira, onde ocorre vasta intolerância nas ruas. “O homossexualismo existe, é um fato e ninguém vai acabar com a inclinação sexual de ninguém através de decretos ou de projetos de lei”, defendeu Estivas ao falar sobre o tema ao Blog do Roberto Almeida.

A polêmica está no ar, e no centro dela, inúmeros organismos querendo fazer jus a sua representatividade - opinando no processo que decidirá sobre o impedimento desse ensino nas escolas de Garanhuns. No centro do debate, um tema que divide opiniões e que sobretudo, parece ainda estar engatinhando aqui no país. Interessados, compareçam na Câmara, na terça, 14 de novembro.
.

.

.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário