terça-feira, 14 de novembro de 2017

Falta de Apoio: Bruno Araújo deixa o Ministério das Cidades

Araújo: "Agradeço a confiança do meu partido, no qual exerci toda a minha vida pública, e já 
não há mais nele apoio no tamanho que permita seguir nessa tarefa". (JC / Foto:  Ricardo B. Labastier).

O ministro das Cidades, Bruno Araújo, do (PSDB-PE), solicitou ao presidente Temer (PMDB), nesta segunda-feira, (13), sua exoneração do cargo. O tucano, que é deputado federal licenciado, deve reassumir o posto na Câmara Federal após deixar a pasta.

Em carta direcionada a Temer, Bruno cita que o que o motivou a deixar o ministério foi a falta de apoio do PSDB, que já há algum tempo estuda deixar a base do governo Temer. "Agradeço a confiança do meu partido, no qual exerci toda a minha vida pública, e já não há mais nele apoio no tamanho que permita seguir nessa tarefa", afirmou.

No texto, Bruno ressalta ainda atos conquistados durante sua passagem pelo ministério e agradece ao presidente e à equipe com a qual trabalhou. "Preciso agradecer o apoio de toda nossa competente equipe nessas realizações, e de modo especial a sua confiança, que de trato sempre fidalgo e republicano, permanentemente nos deu autonomia em busca da melhor entrega possível à população brasileira", pontuou.

PRESSÃO - Há algum tempo, uma ala do PSDB que é contrária à permanência do partido na base do governo Temer pede que os ministros filiados à sigla entreguem seus cargos. Além de Bruno, primeiro a desembarcar, ainda estão à frente de ministérios os tucanos Aloysio Nunes (Relações Exteriores), Luislinda Valois (Direitos Humanos) e Antonio Imbassahy (Secretaria de Governo). O Ministério das Cidades, que Bruno acaba de deixar, é uma das pastas mais cobiçadas por deputados do chamado centrão da Câmara, que une siglas como o PSD, o PP, o PTB e o PR, por exemplo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário