quarta-feira, 11 de outubro de 2017

PSB julga expulsão de Fernando Filho na próxima segunda, dia 16

Além do Ministro de Minas e Energia, legenda ainda decidirá sobre a saída de outros três 
deputados. Carlos Siqueira: "Não faz mais sentido a presença deles no partido”. (Márcio Didier).

O diretório nacional do Partido Socialista Brasileiro (PSB), se reunirá na próxima segunda-feira (16), às 19h, para avaliar a expulsão de quatro casos de infidelidade considerados mais graves pela cúpula socialista. São os casos do ministro de Minas e Energia, Fernando Filho (PSB); a líder da bancada na Câmara Federal, Tereza Cristina (PSB); os deputados federais Danilo Forte (PSB) e Fábio Garcia (PSB). O julgamento será o primeiro dos 15 denunciados ao Conselho de Ética da instância partidária.

O caso do ministro Fernando Filho é considerado o mais grave junto com a líder Tereza Cristina pela fidelidade ao Governo Temer. A avaliação é que ele vem comandando uma agenda de privatizações que contraria as bandeiras da agremiação, além de descumprir a determinação partidária de deixar a Esplanada dos Ministérios e aderir a oposição ao Governo Paulo Câmara. Já Forte e Garcia são os membros do partido na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que se recusam a votar a favor da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB). 

"Não faz mais sentido a presença deles no partido. A única contribuição que eles podem dar ao PSB é sair", disse o presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira.

Nenhum comentário:

Postar um comentário