segunda-feira, 9 de outubro de 2017

Vereador de São Lourenço da Mata acusa delegado de perseguição

Presidente da Câmara, Denis Alves defende que está sendo retaliado, por ter feito denúncia 
contra Bruno Pereira no Ministério Público, que resultou no afastamento do Prefeito. (Cássio Oliveira).

O presidente da Câmara dos Vereadores de São Lourenço da Mata, Denis Alves (Podemos), acusou o delegado da Polícia Civil, Ricardo Silveira, que conduz investigação contra ele, de perseguição. Segundo o vereador, o delegado é casado com uma prima do prefeito afastado do município, Bruno Pereira (PTB), seu adversário político.

Denis Alves afirmou que está sendo retaliado por ter feito denúncia contra Bruno Pereira no Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que resultou em uma operação integrada entre o MPPE, a Polícia Civil e o Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE). A Polícia determinou o afastamento do prefeito, dois secretários e integrantes da Comissão Permanente de Licitações.

"Está havendo perseguição com certeza. Existem crimes acontecendo em São Lourenço e ninguém está dando respostas. Então porque estão dando tanta importância para este caso do CPF? A verdade é que o delegado faz parte da família do prefeito e quer tirar a credibilidade das denúncias me atacando", afirmou Denis Alves em coletiva de imprensa realizada nesta segunda (9) na sede da Câmara de São Lourenço para esclarecer sobre as denúncias contra ele.

Falsidade ideológica - Denis Alves e seu assessor, Antônio Pereira, foram indiciados por falsidade ideológica e uso de documentos falsos. Segundo a Polícia Civil, o vereados fez uso de CPF falso para a abertura de uma  empresa chamada Medical Vision e outra empresa fantasma. Eles ainda teriam criado sócios fantasmas por meio de documentos falsos. No interrogatório, o presidente da Câmara afirmou que assinado todos os documentos, mas que eles foram falsificados durante o procedimento de habilitação.

"Só existe uma empresa no meu CPF. A Denis material hospitalar, que tenho há muitos anos. Se surgiram empresas irregulares eu desconheço e estou confiante na Justiça que vai apurar os fatos e ver que não cometi nada de errado", disse Denis na coletiva. 

O assessor de Denis é considerado foragido pela polícia. Segundo a Polícia Civil, ele deverá ter a prisão decretada pelo Poder Judiciário. Denis apresentou documentação atestando que Antônio Carlos tinha viagem marcada desde o mês de julho e não fugiu. Ele retorna hoje à São Lourenço e irá se apresentar à Polícia na manhã desta terça-feira (9).
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário