segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Marília:“PT não tem cacique, e Lula não definirá candidatura em PE"

Confrontada com gestos públicos do ex-presidente e de outros petistas para o PSB, de onde ela saiu brigada,
Marília não esconde sua divergência com a principal estrela petista. (Giovanni Sandes/Coluna Pinga Fogo)

Socialistas e mesmo petistas começam a ficar impressionados com o tom adotado por Marília Arraes, vereadora de terceiro mandato na capital, Recife, em seu giro no interior em defesa de sua candidatura a governadora pelo PT. Confrontada com gestos públicos do ex-presidente Lula e de outros petistas para o PSB, de onde Marília saiu brigada, ela não esconde sua divergência com a principal estrela petista.

Em uma rádio do interior, quarta passada, ela foi questionada sobre se crê na volta da aliança PT-PSB, depois da recente visita de Lula à viúva do falecido Eduardo Campos, Renata Campos, ao governador Paulo Câmara e ao prefeito Geraldo Julio, do PSB. Marília enfatizou a” cultura democrática” petista e então disse: “O PT não tem cacique”.

Logo depois, foi questionada se, como vereadora, teria uma autonomia maior que Lula ou o senador Humberto Costa (PT), que também tem sinalizado para o PSB, na decisão sobre os rumos do partido. “Nem eu nem Lula. Quem tem autonomia é a base do PT”, disparou Marília. Petistas e socialistas graúdos não descartam a possível volta da aliança. Marília, contudo, soa empenhada no tudo ou nada de seu projeto: “O PT não vai cometer a irresponsabilidade de apoiar o desgoverno que está acontecendo em Pernambuco”.

RESOLUÇÃO COMO DECISÃO TOMADA - Marília, em todas as entrevistas no interior, lembra a resolução aprovada pelo diretório estadual do PT que sobre o indicativo de candidatura própria em 2018. Para ela, o texto é decisão tomada. Mas a pré-candidatura ainda precisará ser aprovada pela sigla em dezembro, com um ou mais nomes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário