terça-feira, 10 de outubro de 2017

Filig recebeu mais de seis mil pessoas em sua terceira edição

Este ano foram realizadas 15 oficinas, 7 apresentações artísticas, 4 mesas de diálogos, 10 conversas com
convidados, além de sessões de leitura, feira de livros e exposição. (Cloves Teodorico/Secom/PMG).

Mais de mil pessoas, entre crianças, adolescentes, adultos e idosos, circularam pelos quatro dias de programação do Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns (Filig). O evento, que aconteceu entre os dias 5 a 8 de outubro, teve atividades no Parque Ruber Van Der Linden (Pau Pombo) e na Unidade Sesc da cidade, com acesso gratuito. Com o tema “Nas entrelinhas das imagens narrativas”, o festival buscou aproximar o público infantil de autores, escritores e ilustradores nacionais e internacionais.  

Na terceira edição do Filig foram realizadas 15 oficinas, 7 apresentações artísticas, 4 mesas de diálogos, 10 conversas com convidados, além de sessões de leitura, feira de livros e exposição. “Foram momentos enriquecedores porque percebemos o interesse e a participação das crianças”, avalia Pietra Costa, diretora da Ferreira Costa e co-idealizadora do evento. Além dessas atividades, o Filig trouxe, pela primeira vez, a realização do “Ateliê de Leitura na Primeira Infância” e do “Ateliê de Narrativas Visuais” e de momentos de leitura na barriga e para pais e bebês. 

Com curadoria de Luciano Pontes, o Filig contou com a presença do ilustrador mexicano Gabriel Pacheco, dos escritores Odilon Moraes e Renato Moriconi, de São Paulo, Tino Freitas, do Ceará, e Alessandra Roscoe, do Distrito Federal. Também vivenciaram Garanhuns o pernambucano Walther Moreira Santos, as autoras Elma e Rosinha e os grupos Bandalelê, Tropa do Balacobaco, Grupo Pé de Vento e Cia Truks (SP).
.

O evento, que completou a terceira edição, é uma realização do Ministério da Cultura (MinC), por meio da Lei de Incentivo à Cultura, idealizado pela Proa Cultural e Ferreira Costa, com apoio da Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), Prefeitura de Garanhuns, por meio da Secretaria de Educação Municipal, do Serviço Social do Comércio (Sesc) e da UFRPE – Unidade Acadêmica de Garanhuns. 

Formações continuadas – Além dos dias de realização do Festival Internacional de Literatura Infantil de Garanhuns (Filig), o evento busca impactar também agentes de leitura e proporcionar a democratização do acesso à leitura. Por isso, o festival realiza durante o ano, capacitações com professores, bibliotecários e demais profissionais que atuem nessa área em Garanhuns. Nesta edição, 53 escolas da cidade e outras três bibliotecas receberam os kits com acervo de literatura infantil, além de 50 profissionais capacitados. 

As obras estiveram relacionadas com a temática trabalhada nos dias de evento. “Nessa lógica, a cidade foi apresentada a esses convidados para que no festival os alunos e professores já tivessem familiaridade com os autores. Conseguimos formar essa conexão entre eles e, o mais importante, despertamos para o hábito da leitura e censo crítico”, pontua Camila Bandeira, da Proa Marketing Cultural.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário