sábado, 26 de agosto de 2017

Recursos bloqueados impedem pagamento a fornecedores e podem levar Izaías a demitir 500 servidores municipais

Montante bloqueado é de R$ 8 milhões, sendo que ele pode mais do que dobrar, 
chegando aos R$ 18 milhões. Sequestro desses valores vem descontrolando a gestão Izaías.

Não é nada fácil a atual situação das finanças de Garanhuns. Por determinação da Justiça, estão bloqueados mais de R$ 8 milhões das contas da Prefeitura. Esse valor, que se refere a recuperação de créditos vinculados ao ISS e de repasses federais, principalmente do setor da Educação, foi liberado, através de uma liminar, e utilizado no fim da administração do ex-prefeito Luiz Carlos de Oliveira, em 2012. Passados quase cinco anos, e após recorrer dessa decisão, o Unibanco conseguiu "sequestrar" esse montante.

Esse valor, pode mais do que dobrar, batendo a marca dos R$ 18 milhões de reais bloqueados, no caso de haver uma correção monetária. Desde o sequestro desses oito milhões, três meses se passaram, e em função desse entrave nas contas do município, o Prefeito Izaías tem realizado constantes viagens a capital federal, Brasília, no intuito de desbloquear esses recursos. Além de Régis, quem também está em campo, é a Assessoria Jurídica do Município, que de acordo com o Prefeito, tem assegurado a ele, que o direito que norteia a defesa da gestão é “bom”.

“Estamos pagando por erros que foram cometidos no passado, mas que depois de muita luta jurídica agora chegaram e vem atrapalhando a nossa Gestão. O nosso direito é bom, porém estamos lutando contra grandes forças do mercado financeiro, que são assessorados pelos melhores e mais influentes escritórios de advocacia do País”, declarou o Prefeito, em entrevista durante a semana.

Com o bloqueio, a Prefeitura vem realizando alguns pagamentos em atraso. Fornecedores e prestadores de serviços não tem recebido e os 40% de antecipação do 13º salário, que anualmente o Prefeito vinha concedendo aos servidores, não ocorrerá esse ano.

Diante dessas dificuldades, o Prefeito Izaías já considera reduzir a folha de pagamento do município, através de uma medida extrema: a demissão de 500 servidores. “Se não recuperar esse dinheiro bloqueado e se mais recursos forem sequestrados, precisaremos reduzir a folha de pagamento em mais de R$ 2 milhões por mês”, pontuou o Prefeito, durante entrevista a uma rádio local.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário