.

.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Monsenhor de Garanhuns despede-se de PE com título de cidadão

Proposta pelo deputado Álvaro Porto, homenagem foi a primeira cerimônia do gênero a acontecer na 
nova sede do Legislativo.(Com informações de Josué Nogueira / Alepe / Fotos: Flávio Japa).

Nomeado em junho bispo da Diocese de Campo Maior (PI), o monsenhor Francisco de Assis Gabriel dos Santos recebeu, nesta terça-feira (01.08) o título de cidadão pernambucano em clima de despedida. Em sessão solene na nova sede da Assembleia Legislativa, o religioso nascido em Esperança, na Paraíba, foi homenageado pelo deputado Álvaro Porto (PSD), autor da proposta que acabou aprovada por unanimidade pela Casa. 

Toda a carreira sacerdotal do monsenhor, que dirige a Paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Garanhuns, aconteceu em Pernambuco. Desde a ordenação, em 2000, até os dias atuais ele se dividiu entre o Agreste Meridional e o Recife. 

Até 2003, desenvolveu suas atividades pastorais no bairro de Heliópolis, também em Garanhuns. Naquele ano foi transferido para o Recife, onde permaneceu até 2011, com passagens marcantes pelos bairros da Madalena, Torre, Santa Luzia e Ibura. O trabalho no Ibura, especialmente, foi marcado pela criação do Centro de Pastoral da Cidadania, desenvolvido em parceria com a Universidade Católica de Pernambuco.

No seu discurso, Porto destacou que a atuação do monsenhor sempre se guiou pelo aspecto humanista. "Francisco de Assis construiu uma trajetória de grande prestígio em nosso estado, tornando-se merecedor de aplauso, reconhecimento e agradecimento do povo de Pernambuco. Por onde passou, ele manteve como característica maior do seu trabalho o estímulo à construção da consciência cidadã dos seus paroquianos, a partir de ensinamentos fundamentados na política, nos direitos sociais e, principalmente, na formação humana e religiosa", afirmou.
.

"Esta reunião, que deveria ser exclusivamente destinada à reverência do trabalho do monsenhor, ganha novos contornos. Por desígnios do destino, transforma-se também numa cerimônia de despedida", completou. Monsenhor Francisco de Assis será ordenado bispo no dia 26 em Garanhuns e segue para o Piauí no início de setembro. A nomeação para a nova função aconteceu quando Porto já havia apresentado o projeto para a concessão do título. "A ascensão do monsenhor só corrobora o brilhantismo da sua carreira e fortalece ainda mais a homenagem que fazemos a ele", destacou o deputado.

DOM HELDER, ARRAES E ARIANO - A cerimônia, a primeira do gênero a acontecer na nova sede do Legislativo estadual (no auditório Sérgio Guerra), foi acompanhada por paroquianos, lideranças religiosas, e vereadores de Garanhuns, além de fiéis de regiões onde ele atuou no Recife. O deputado líder da oposição, Silvio Costa Filho (PRB), representou o presidente da Assembleia Legislativa de Pernambuco, deputado Guilherme Uchoa. O bispo auxiliar da Arquidiocese do Recife e Olinda, Dom Antônio Tourinho Neto, representou o arcebispo Dom Fernando Saburido.

No seu discurso, o monsenhor lembrou que, mesmo nesses tempos difíceis, continua acreditando na política como força estrutural de transformação da sociedade e destacou que o primeiro mandamento do cristianismo é a compaixão pelos mais necessitados. Disse que esses preceitos norteiam seu sacerdócio e afirmou que dedicava o título de cidadão a Dom Helder, ao ex-governador Miguel Arraes e ao escritor Ariano Suassuna, pernambucanos de coração como ele que fizeram história no estado.

O monsenhor salientou que desde que chegou ao estado, ainda como seminarista, também em Garanhuns, se identificou e se envolveu com a cultura pernambucana. "Sempre me dediquei a debater as questões sócio-políticas que se apresentavam. Isso me deixou próximo a problemas do Estado. Me sinto um pernambucano, me identifico com a cultura, com a história, seja no Recife, no Ibura ou em Santa Luzia, no interior do estado. Sempre que fui procurado para me posicionar politicamente, me posicionei. Mostrei caminhos a quem me pedia. Sempre tive posicionamentos sem ser necessariamente partidário".
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário