.

.

sábado, 5 de agosto de 2017

G20 planeja ações em Garanhuns com organismos internacionais e já trabalha projeto de Lei, construído através de iniciativa popular

Em atuação há cerca de um ano, coletivo garanhuense é formado por profissionais de
diversas áreas, dentre eles, comerciantes, advogados, professores e profissionais de saúde.

“Promover o bem estar social, buscando dá qualidade de vida a população, principalmente para aquela parcela, que se encontra em estado de vulnerabilidade - viabilizando serviços, dentre muitos, o de saúde, em parceria com organismos nacionais e internacionais, além de entidades públicas e privadas”. Esses, são os principais parâmetros orientadores da atuação do grupo da sociedade civil G20.

Em atuação há cerca de um ano, o coletivo garanhuense é formado por profissionais de diversas áreas, dentre eles, comerciantes, advogados, professores e profissionais de saúde. Cada um com sua formação, conhecimento e experiência de trabalho, dá sua parcela de contribuição, na formação de novos projetos, cujo um dos objetivos é garantir que entidades públicas e privadas possam promover parcerias, no intuito de massificarem a geração de emprego e renda, aqui no município.

Além de trabalhar parcerias públicas privadas, as chamadas PPP, o G20 ainda aposta na criação de novas associações de bairros. De acordo com o grupo, essas associações são parte importante para o desenvolvimento comum de comunidades periféricas locais. Sob a ótica dos fundamentos do associativismo, o G20 reúne esforços para reivindicar melhorias para essas comunidades, que com um mínimo de estímulo, podem produzir e comercializar de forma cooperada; aspecto que ajuda na distribuição de renda de forma mais igualitária no município garanhuense.

No campo da política, o G20, vem trabalhando sugestões, que serão em breve, dirigidas aos poderes executivo e legislativo. Como forma de atuação pioneira, o grupo vem trabalhando um projeto de lei de iniciativa popular, que reunirá assinaturas suficientes para que ele seja aprovado na Câmara Municipal. Além de projetos populares, a ideia é que a população possa participar mais efetivamente dos conselhos Municipais – o que representa a participação popular na gestão pública.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário