sábado, 12 de agosto de 2017

Feira do troca está sendo realizada no centro de Garanhuns

Feira, que há pouco se mudou para a praça Jardim, durante um 
período também foi realizada na Rua Capitão Tomaz Maia.

Quem circula pelo centro da cidade de Garanhuns, e mais especificamente pela praça Doutor Manoel Jardim, situada ao lado da loja Casas Bahia, deve ter percebido uma movimentação mais intensa do que a de que costume. Por lá, e já desde o início do mês de julho, ambulantes tem se concentrado e vem promovendo uma feira de compra e vendas de produtos diversos. Dentre os muitos produtos comercializados, quem for a feira, encontrará: relógios, celulares, capacetes, sapatos, roupas, entre outros - tudo em geral, usado.

A feira, que vinha sendo realizada na Central de Abastecimento de Garanhuns (CEAGA), e que há pouco se mudou para a praça Jardim, durante um período também foi realizada na Rua Capitão Tomaz Maia, nas proximidades de onde fica instalado um terminal de passageiros. Depois de um período funcionando na popular rua da “tábua”, a comercialização dos produtos, agora acontece, de segunda a sextas-feiras, ao lado de grandes marcas, que detém lojas aqui em Garanhuns. Sempre a partir das 8 da manhã e até a uma da tarde, é possível vender, comprar e trocar de tudo um pouco por lá.
.

Seu José Victório (foto), que é morador da cidade de São João, distante de Garanhuns cerca de 20 quilômetros, é um dos que atuam na feira. Sempre nas quartas-feiras, ele se desloca de sua cidade aqui para Suiça pernambucana, para revender seus produtos e prestar seus serviços - que vão desde a troca de pilhas, a colocação de pinos; ambos, em relógios. De acordo com ele, a popular feira do troca, representa um importante incremento financeiro nas vidas de muitas famílias. “Aqui na feira, a entrega é rápida: logo depois da pessoa vir fazer o serviço. Venho de São João pra essa e pra outra feira que tem no sábado na CEAGA. As duas me ajudam a manter minha casa”, revela seu José.

Embora a feira esteja sendo realizada na praça Doutor Jardim, os ambulantes são unânimes em dizer, que quando a venda dos produtos ocorria na Capitão Tomaz Maia, os negócios eram mais lucrativos. “Nós vinhemos pra cá porque a Prefeitura colocou agente aqui. A mudança foi depois que houve a reforma no ponto de ônibus na praça Irmãos Miranda. Aqui agente tem mais espaço, mas as trocas e vendas diminuíram bastante quando agente compara com antes”, garante o ambulante Antônio, que na feira do troca, revende relógios, pendrive, carregadores, entre outros.
.






Nenhum comentário:

Postar um comentário