terça-feira, 25 de julho de 2017

Som na Rural conquista Garanhuns durante o Festival de Inverno

Esta é o segundo ano do espaço no FIG. Novidade em 2017 é que o ambiente 
agora conta com palco. (Do Portal Cultura PE / Fotos: Rodrigo Ramos).

Um dos principais movimentos de rua do Recife, o Som na Rural tem se consagrado também no Festival de Inverno de Garanhuns, conquistando cada vez mais espaço no roteiro do público. Pela segunda vez na programação do evento, o projeto foi responsável por atrair visitantes para o Parque Euclides Dourado, onde está localizado, nas noites do primeiro final de semana da edição deste ano. A novidade em 2017 é que o ambiente agora conta com palco, mas mantém a mesma proposta intimista de quando os artistas se apresentavam no chão, como aconteceu em sua estreia no FIG do ano passado.

Talvez por isso, o músico pernambucano Bruno Souto tenha optado pelo formato voz e guitarra para apresentar o repertório de baladas que levou uma plateia fiel para o polo ontem. O compositor abriu sua apresentação com a música “Saudades do Verão”, relembrando a banda Volver, com a qual iniciou a sua jornada artística, mas seguiu dando prioridade às canções de “Estado de Nuvem” e “Forte”, discos da carreira solo. Assim vieram títulos como “Repalho”, “Dentro” e “Desconserto” (grafada com “s” mesmo), sendo grande parte acompanhadas em coro pela público presente.

Porém, nem só de romantismo vive o intimismo e o Som na Rural surge como a atividade ideal para recriar esse conceito. Convidado para fechar o palco no último domingo, Graxa explorou o repertório dos discos “Molho” e “Aquele Disco Massa” trazendo a banda completa e garantindo a dose de rock de garagem para a noite. “Não alimente os animais”, “Marcha com as vadias” e “Gengibre” foram algumas das músicas executadas pela banda vigorosa, que mistura referências de grunge, stoner e noise. Apesar da estética sonora mais pesada, a conexão entre a banda e o público se manteve forte através da interação única que o polo proporciona ao colocar fãs e artistas no mesmo nível de diálogo.

”Gosto de tocar na Rural porque, além de trazer uma mistura do que está no mercado, acho o som bem estruturado e me interessa muito esse formato de palco mais próximo do público”, elogiou Graxa, que já havia se apresentou no Palco Pop do FIG em 2015 e retornou ao evento neste ano para tocar pela primeira vez no polo do Som na Rural. Além da DJ Cláudia Aires com seu repertório pop, a banda Diablo Angel completou a programação só de pernambucanos no domingo. A voz feminina competente da vocalista Kira Aderne, à frente da banda de hard rock, provocou curiosidade entre os visitantes do Parque Euclides Dourado, atraindo boa plateia desde o início da noite.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário