sábado, 22 de julho de 2017

VEJA: Delator diz que avião usado por Eduardo era de Aldo Guedes

Reportagem da Revista Veja, ainda detalha que o empresário João Carlos Lyra intermediava o recolhimento
de doações não-declaradas para a campanha de Eduardo Campos à Presidência. (Blog do Diário).

Sérgio Montenegro - O verdadeiro dono do avião Cessna Citation 560 em que viajava o ex-governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB) na campanha presidencial, e que caiu em Santos, em 13 de agosto de 2014, matando o então candidato socialista ao Planalto e vários assessores de campanha, era mesmo do empresário Aldo Guedes (foto abaixo). A informação foi dada à Polícia Federal, em delação premiada, pelo empresário João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho, segundo afirma reportagem publicada pela revista Veja, em sua edição deste fim de semana.

João Carlos Lyra foi preso em junho do ano passado, no âmbito da Operação Turbulência, que investigou o caso do jatinho – juntamente com os também empresários Apolo Santana e Eduardo Freire – e negociou o acordo de delação premiada pelo qual, agora, faz as revelações. De acordo com a reportagem de Veja, Lyra teria confessado à PF ter feito a compra do avião, mas revelou que o verdadeiro proprietário seria Guedes, que teria desembolsado cerca de U$ 8 milhões pelo jatinho, cujo modelo teria sido escolhido pelo próprio Ex-governador, Eduardo Campos

    João Carlos Lyra (foto ao lado) também admitiu aos procuradores, na delação, que intermediava o recolhimento de doações não-declaradas para a campanha de Eduardo Campos à Presidência, mas afirmou que depois entregava tudo a Aldo Guedes, o “cabeça” da gestão do dinheiro. O empresário falou ainda aos investigadores que a comunicação entre ele e Guedes se dava por celulares registrados em nome de terceiros, e os encontros geralmente aconteciam na garagem do seu prédio.

Ao contrário de João Carlos Lyra, Aldo Guedes não está preso. Os dois são investigados também pelo Ministério Público Federal (MPF) em outro inquérito, do qual ainda faz parte o senador pernambucano pelo Partido Socialista Brasileiro (PSB), Fernando Bezerra Coelho, por denúncias de recebimento de propina pago por empreiteiras envolvidas nas obras da Refinaria Abreu e Lima, em Suape.

No aguardo - Ao comentar a reportagem de Veja, o advogado de Aldo Guedes, Ademar Rigueira, limitou-se a afirmar que seu cliente já foi ouvido no inquérito do Supremo Tribunal Federal (STF), quando esclareceu não ser o dono do avião. Diante das acusações de Lyra, porém, segundo o defensor, Guedes não pretende reagir judicialmente. “Vamos aguardar. O depoimento (de Lyra aos procuradores) deve gerar nova investigação, e então vamos nos defender”, explicou. Rigueira lembrou ainda que até o momento não foram apresentadas provas materiais contra Aldo Guedes que comprovassem a propriedade do avião. “Delação premiada tem que ser acompanhada de provas materiais”, completou.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário