.

.

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Pernambuco tem o primeiro semestre mais violento em dez anos

Taxa de homicídios por 100 mil pessoas é a maior desde o início do Pacto pela Vida. Primeiro semestre 
de 2017 representou um aumento de 39,4% em relação ao do ano passado. (Fonte: JC Online).

Nem mesmo a redução, por três meses consecutivos, no número de homicídios (entre março e junho deste ano) evitou que Pernambuco tivesse o primeiro semestre mais violento desde a criação do Pacto pela Vida (PPV), em 2007. No índice de homicídios por grupos de 100 mil habitantes, a taxa de 30,6 nos primeiros seis meses deste ano é a maior no comparativo com os mesmos períodos entre 2007 e 2016. Em número absolutos, foram 2.876 assassinatos no estado comandado pelo Governador Paulo Câmara, enquanto a segunda maior marca foi precisamente no primeiro ano do PPV, com 2.423 ocorrências.

Também em números absolutos, o primeiro semestre de 2017 representou um aumento de 39,4% em relação ao do ano passado. Já na relação entre as taxas por grupo de 100 mil pessoas, mais aumento: 37,8% no comparativo entre 2017 e 2016. No balanço geral dos anos entre 2007 e 2016, a maior taxa de assassinatos por 100 mil pessoas ainda é a do primeiro ano do Pacto, com 54. 

Após cinco anos de redução, 2013 fechou com o menor índice já registrado em Pernambuco desde a concepção da política pública: 33,7. Desde então, no vácuo da saída de Eduardo Campos do poder, em 2014, e na esteira da crise econômica que tomou de assalto o País, os números aumentaram até 2016 fechar com uma taxa de 48,2 homicídios para cada grupo de 100 mil habitantes.

Ao contrário do que vinha fazendo desde o início do ano, o governo do Estado não realizou qualquer anúncio dos dados relativos ao mês de junho, quando foi confirmada a tendência de queda no número absoluto de mortes violentas intencionais. O pico absoluto de todo o período de dez anos do Pacto pela Vida foi atingido em março deste ano, quando 551 pessoas foram assassinadas em Pernambuco. Junho terminou com 380 homicídios.

GOVERNO - O secretário de Planejamento e Gestão do Estado, Márcio Stefanni, coordenador do PPV (foto abaixo), garante: “O Pacto continua vivo e vai conseguir reverter os números e dar maior sensação de segurança à população.” Na avaliação do gestor, a redução de assassinatos nos últimos três meses é indicador disso.

“Não estou fugindo dos números, mas o crescimento da violência é um problema nacional. A redução dos últimos três meses já é resultado da política adotada pelo governo (um investimento de R$ 290 milhões em frota, pessoal e criação de batalhões). A gente acredita que tenha encontrado o caminho. O próximo semestre vai ser melhor do que esse”, afirmou o secretário ao falar ao Jornal do Comércio.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário