quinta-feira, 2 de março de 2017

ÁGORA motiva adoção de Conselhos e fiscalização do Executivo

Grupo, bastante organizado e incentivando a democracia participativa, começa a ganhar adesão 
em diversas classes que comungam da participação popular nas decisões politicas/administrativas.

As novas tecnologias ampliaram muito a capacidade de comunicação dos grupos sociais. Com isso, todos passamos a ter mais facilidade para se organizar. Os jovens, em especial, têm se destacado em vários lugares do mundo pela forte participação em protestos por causas diversas. Em Garanhuns, vários grupos aparecem com a finalidade de ajudar na construção de uma cidade melhor. Entre eles, damos destaque ao grupo ÀGORA que se  apresenta como uma ferramenta na luta pelos direitos sociais e pela adoção dos Conselhos.

O grupo, bastante organizado, informatizado, e com o tema: “adote um conselho” e incentivando a democracia participativa, começa a ganhar força e adesão principalmente nas classes de professores, advogados e militantes políticos que comungam a iniciativa de desenvolver a participação popular nas tomadas de decisões politicas/administrativas, além de criar estratégias que possam melhorar a democracia direta e representativa.

Na prática, o ÁGORA visa, entre outras coisas, a participação dele como conjunto, na esfera governamental, através dos conselhos municipais - que são muitos, entre eles o de Saúde, por exemplo. Segundo a Constituição Federal de 88 - Constituição Cidadã, a sociedade pode participar das atividades do Poder Público, através desses conselhos, que tem como papel mais importante, o controle social em relação as políticas públicas de interesse geral da sociedade. Além de participar dos conselhos, o Ágora pretende fiscalizar as ações do executivo e legislativo municipal, cobrando por exemplo, a divulgação de informações que devem ser de livre acesso aos cidadãos.

Entre suas primeiras atuações, com relação a fiscalização ao executivo de Garanhuns, o Ágora remeteu alguns ofícios solicitando providências previstas em lei, que facilitarão a participação da Sociedade Civil nas Políticas Públicas. Dentre os muitos pedidos de informações cobrados ao Executivo, estão: o Plano de ação para Co-financiamento do Governo Federal ao Sistema Único de Assistência Social dos anos 2013, até o ano de 2017; Demostrativo Sintético Anual da Execução Físico-financeiro do Sistema Único de Assistência Social - SUAS dos anos 2013 até 2016 e o orçamento de 2017 voltado à Proteção Social Especial, Atenção Básica da Criança e do Adolescente – FMAS.

“Nosso objetivo é Fazer com que as pessoas possam retomar a participação nas decisões políticas de forma mais efetiva. Por intermédio das mídias sociais (facebook, whatsapp, istagram, twiter, etc), iremos fomentar a participação dos indivíduos nas questões mais importantes da nossa vida política”, diz trecho do texto de boas vindas publicado na página do Facebook do Grupo Ágora, confira.

Quer saber mais sobre o ÁGORA, então confira a página do grupo

Nenhum comentário:

Postar um comentário