sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Priscila é contra o aumento na conta de água dos pernambucanos

“O cidadão pernambucano está, na verdade, sendo vítima de uma manobra financeira.
O maior credor do Estado é a Compesa”, defende a parlamentar. (Alepe).

Em pronunciamento durante a Reunião Plenária na Assembleia Legislativa de Pernambuco nesta quarta (22), a deputada estadual Priscila Krause, do DEM, questionou o argumento dado pela Compesa para o aumento na conta de água a partir de 20 de março. O reajuste será de 7,88% para os consumidores em geral e de 5,43% na tarifa social. Para obter esclarecimentos, ela  anunciou que acionará o Ministério Público de Contas (MPCO) de Pernambuco e a Agência Estadual de Regulação de Pernambuco (Arpe).

Ao justificar o aumento nas tarifas, a empresa citou um custo a mais, de cerca de R$ 100 milhões com carros-pipa e investimentos em obras emergenciais, como adutoras e captação de água, por causa da estiagem no Agreste do Estado. Baseando-se em informações do Portal da Transparência, a parlamentar apontou, porém, uma dívida de R$ 51,9 milhões do Governo Estadual, referente ao pagamento de taxas de fornecimento de água e serviço de esgoto dos prédios públicos. A dívida estaria, na avaliação dela, prejudicando o fluxo de caixa da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa).

“O cidadão pernambucano está, na verdade, sendo vítima de uma manobra financeira. O maior credor do Estado de Pernambuco é a Compesa. A empresa tem para receber uma dívida de R$ 37,9 milhões de reais de 2016, e R$ 14 milhões de 2015, que, somada, representa mais da metade do valor usado para justificar o aumento. A população vai pagar uma conta que, na totalidade, não é dela”, explicou Priscila em seu discurso.

Ainda durante sua fala, Priscila afirmou que fará um pedido de informações ao Governo do Estado para que detalhe a dívida com a Compesa; um requerimento à Arpe para que justifique o reajuste; e notificará o Ministério Público de Contas para acompanhar a situação. “Além disso, se for necessário, vamos chamar os representantes da empresa à Assembleia para que concedam as explicações necessárias”, acrescentou.

Nenhum comentário:

Postar um comentário