sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Izaías busca solução para o Transporte Alternativo em Garnhuns

Durante reunião entre o Executivo e Associações de Transporte Intermunicipal, uma minuta para criação de
uma lei que regulamente o serviço na cidade foi entregue ao Prefeito. (Blog do Roberto Almeida).

Duas reuniões foram realizadas esta semana para tentar encontrar uma solução que favoreça todas as partes, com relação à circulação dos transportes alternativos em Garanhuns. Representantes da Cooperativa de Transporte Alternativo de Arcoverde e da Cooperativa de Transporte Complementar Intermunicipal de Passageiros do Agreste Meridional de Pernambuco (Coopame); o presidente da AMSTT, Elielson Pereira; o executivo da AMSTT, Adilson Sulene; estiveram reunidos com o prefeito Izaías Régis (PTB),  em seu gabinete,  para conversar sobre a regularização do transporte não convencional.

Na ocasião, foi entregue ao prefeito uma minuta para criação de uma lei que regulamente o serviço no município. O petebista solicitou à AMSTT a apreciação da minuta e a verificação do serviço em outros municípios onde já existe a regularização, para nortear o procedimento em Garanhuns. “Nós apresentamos uma proposta de regulamentação, para que haja uma melhoria do sistema operacional dentro de Garanhuns. Com esse projeto, nós podemos resolver os problemas que estão acontecendo com a categoria, além de trazer melhorias para os permissionários de Garanhuns”, explicou André de França, presidente da Cooperativa de Transporte Alternativo de Arcoverde.

Na manhã de quarta-feira, dia 8, houve uma nova reunião na sede da AMSTT com representantes da Coopame. A Autarquia acordou com a Cooperativa alguns possíveis pontos de desembarque, de acordo com a necessidade dos transportes e atendendo às normas legais do exercício da atividade. Segundo o presidente da AMSTT, Elielson Pereira,  este é o momento de avaliar cada sugestão. “Recebemos as cooperativas e conversamos sobre o disciplinamento deste tipo de serviço no município de Garanhuns. No momento queremos achar formas viáveis de resolver esta demanda urgente. Em um futuro breve esperamos implantar esta lei e regulamentar o exercício da atividade”, ponderou.

Além disso, representantes jurídicos da Autarquia explicaram alguns pontos da minuta apresentada e as possibilidades de melhoria na redação para as devidas adequações. A AMSTT se comprometeu em avaliar cada ponto apresentado a fim de viabilizar a circulação dos transportes até que seja concluído o processo de regularização na cidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário