terça-feira, 21 de junho de 2016

DEFINIDO: Festival de Inverno 2016 terá dez dias, mas praça Mestre Dominguinhos contará apenas com 9 noites de shows

Diante da nova posição adotada pelo Governo Paulo Câmara, a abertura do Festival de Inverno 
este ano ocorrera na Igreja Católica Catedral de Santo Antonio, na quinta-feira, 21 de julho.

O Festival  de Inverno de Garanhuns, um dos maiores eventos da América Latina em Arte e Cultura, terá dez dias em sua programação oficial em 2016, mas apenas 9, de apresentações artísticas musicais na Praça Mestre Dominguinhos. A informação é oficial e foi repassada na tarde desta terça-feira (21) à Comissão Especial do Fig, pelo Secretário de Cultura do Estado, Marcelino Granja e pela Presidente da Fundarpe, Márcia Souto.

    Apesar de uma semana atrás, o Titular da Casa Civil, Antônio Figueira, ter garantido, em uma audiência com a Comissão, as dez noites de shows para a Praça Mestre Dominguinhos, após uma nova avaliação por parte do Governo de Pernambuco, ficou confirmado que para esta edição, o aporte de recursos reservados (5,4 milhõesnão tornaria viável a continuidade dessas dez noites. 

Diante da nova posição adotada pelo Governo Paulo Câmaraatravés da Secult/Fundarpe, a abertura do Festival de Inverno este ano ocorrerá na Igreja Católica Catedral de Santo Antônio, na quinta-feira (21), com um concerto/espetáculo magno, que contará com a presença do Governador Paulo Câmara (PSB). Já na sexta-feira, dia 22, o Palco Mestre Dominguinhos terá uma noite de shows em homenagem ao músico pernambucano, já falecido, Naná Vasconcelos. Quanto a data em que devera ocorrer o evento, ela também  e oficial, sera de 21 a 30 de julho.

Como anunciamos aqui, em primeira mão, o Festival perderá uma noite na Praça Mestre Dominguinhos, todavia, outro polo, o instalado na Igreja Catedral de Santo Antônio receberá a abertura do evento. Quanto a Comissão Especial do Fig, encabeçada pelo empresário e ex-vereador Mário Faustino, ela deve se tornar permanente. Segundo Ivan Junior, na reunião mantida com o Governo do Estado, ficou estabelecido que a partir de 2017, comissão passa a integrar composição do evento.
.

NOVIDADES 2016 – De acordo com informações repassadas pelo empresário e ex-secretário de Turismo de Garanhuns, Ivan Júnior, apesar da Comissão Especial do Fig não ter obtido seu principal objetivo (o de garantir as dez noites de shows para a praça Mestre Dominguinhos), há muito o que se comemorar. Segundo Ivan, o Festival de Inverno nesta 26ª edição ganhará mais visibilidade, já que através do publicitário José Mário, será viabilizada a cobertura do evento, por parte da imprensa nacional, através da emissora de TV Rede Globo e de sua filiada, a Rede Globo Nordeste.

  Além da presença da emissora dos marinhos cobrindo o evento, comissão, viabilizou, através dos empresários Mário Faustino, Ivan Júnior, Edival Veras e José Mário, além do Advogado Alexandre Marinho, que a Rádio Jornal Recife, embale o evento com 15 dias de antecedência. A emissora do grupo João Carlos Paes Mendonça (JCPM) deve produzir, a partir de Garanhuns, um programa de maneira especial, no formato a levar para os ouvintes, uma prévia do evento, colocando todo o estado, já no clima de Festival.

Outra novidade para este ano, de acordo com Ivan, será a circulação de um ônibus tipo turístico, que percorrerá os polos do evento. Não está nada definido, mas ainda de acordo com Ivan, há a possibilidade de que o Palco montado no Parque Pau Pombo, o Instrumental, passe a contar ainda este ano, com nove noites de apresentações musicais (até o ano passado e já ha dois anos, apenas cinco noites vem sendo reservadas pela Fundarpe para o Instrumental).

Ivan aposta neste caso, que os empresários locais possam contribuir com recursos financeiros, para um maior número de shows reservados aquele palco, razão pela qual, em contato direto com o Governo de Pernambuco, Fundarpe/Secult, ele deve apresentar até o final deste mês um projeto de viabilidade para execução da proposta. 
.

Polícia Federal descobre esquema de lavagem de dinheiro realizado a partir de avião que transportava Eduardo Campos

Há suspeita de que parte dos recursos que transitaram nas contas examinadas serviam
para pagamento de propina a políticos e formação de "caixa dois" de empreiteiras.

De acordo com informações do Jornal Diário de Pernambuco, em sua versão online, a Polícia Federal (PF) deflagrou nesta terça-feira a Operação Turbulência contra um grupo que seria especializado em lavagem de dinheiro, em Pernambuco e Goiás, que teria movimentado mais de R$ 600 milhões desde 2010. A investigação começou, segundo a PF, a partir da análise de movimentações financeiras suspeitas detectadas nas contas de algumas empresas envolvidas na aquisição da aeronave Cessna Citation PR-AFA. Esse avião transportava o ex-governador de Pernambuco e então candidato à Presidência da República, Eduardo Campos, em seu acidente fatal, ocorrido em agosto de 2014.

A PF relevou que essas empresas eram de fachada, constituídas em nome de "laranjas", e que realizavam diversas transações entre si e com outras empresas que seriam fantasmas, inclusive com algumas investigadas no bojo da Operação Lava Jato. Há suspeita de que parte dos recursos que transitaram nas contas examinadas serviam para pagamento de propina a políticos e formação de "caixa dois" de empreiteiras. O esquema criminoso sob apuração encontrava-se ativo, no mínimo, desde o ano de 2010.

Cerca de 200 policiais federais dão cumprimento a 60 mandados judiciais, sendo 33 de busca e apreensão, 22 de condução coercitiva e cinco de prisão preventiva. Também estão sendo cumpridos mandados de indisponibilidade de contas e sequestro de embarcações, aeronaves e helicópteros dos principais membros da organização criminosa.
.

Já foram presos os empresários João Carlos Lyra Pessoa de Melo Filho, Eduardo Freire Bezerra Leite e Apolo Santana Vieira, apontados como donos do avião, além de Arthur Roberto Lapa Rosal. Há ainda um quinto mandado de prisão expedido, mas o nome do suspeito não foi divulgado. Os presos e os conduzidos de forma coercitiva serão levados para a sede da Polícia Federal no Recife. Os envolvidos responderão, na medida de seu grau de participação no esquema criminoso, nos crimes de organização criminosa, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica.

O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE-foto abaixo), ex-ministro da Integração Regional do governo Dilma Rousseff (PT), responsável pela obra no sertão nordestino, segundo o Portal de Notícias G1 da Globo, teria atuado na coleta de fundos para a campanha eleitoral de Campos, segundo a PF. "O indicativo que a gente tem é que Fernando Bezerra Coelho teria sido a pessoa encarregada de colher, os valores do percentual devido para a campanha do ex-governador em um esquema criminoso.

        Se era ele de fato ou não, isso não tenho como afirmar", apontou a delegada Andrea Pinho. "Tudo começou com a história do avião, mas agora queremos desarticular toda essa organização. Quem são os envolvidos, o que fizeram e quem foram os beneficiados", completou o delegado Daniel Silvestre. A reportagem do G1 entrou em contato com o Partido Socialista Brasileiro em Pernambuco (PSB-PE), com o senador Fernando Bezerra Coelho e com a OAS, mas ainda não obteve respostas. Já a família do ex-governador  Eduardo Campos informou ao portal, que não iria se pronunciar por enquanto.
.