sexta-feira, 17 de junho de 2016

Acompanhado pelo Deputado Claudiano Martins, Governador entrega abatedouro e nova sede de Escola Municipal em Quipapá

Nova sede da Escola Municipal João Antônio de Souza Filho e o Abatedouro Regional Luiz 
Buarque Wanderley são frutos de parceria entre os governos estadual e municipal. (SEI)

QUIPAPÁ - O governador Paulo Câmara cumpriu agenda no município da Zona da Mata Sul, nesta sexta-feira (17.06), e acompanhado do Deputado Estadual, líder o PP na Assembleia Claudiano Martins Filho, entregou dois novos equipamentos públicos à população local. O primeiro deles foi o Abatedouro Regional Luiz Buarque Wanderley, que irá garantir uma maior qualidade no fornecimento de carnes para os moradores da região. O outro foi a nova sede da Escola Municipal João Antônio de Souza Filho, que tem capacidade para atender 300 estudantes do 1 ao 5º ano.

Construída em uma área de 846 metros quadrados, a estrutura contempla da nova sede da Escola Municipal João Antônio de Souza Filho conta com seis salas de aula, laboratório de informática, sala de leitura, cozinha, banheiros, sala dos professores, secretaria, quadra coberta com vestiários e departamento administrativo. A unidade de ensino recebeu um aporte de R$ 2,1 milhões e faz parte do primeiro lote do Projeto Reconstrução, que prevê a construção de 13 unidades estaduais e municipais em oito cidades da região. O início das atividades está previsto para o segundo semestre deste ano.
.

SEGURANÇA ALIMENTAR - Também na cidade de Quipapá, o Governador entregou o Abatedouro Regional Luiz Buarque Wanderley, localizado no Sítio Nossa Senhora, zona rural de Quipapá. Fruto de um convênio entre o Estado e o município, o local tem capacidade para abater 100 animais por dia entre bovinos, caprinos, suínos e ovinos, que contou com investimentos na ordem de R$ 3,6 milhões. O empreendimento vai garantir uma maior qualidade no fornecimento das carnes, além do cumprimento das normas para o abate humanizado dos animais, através de pistola pneumática. Ao todo, serão beneficiadas cerca de 75 mil pessoas dos municípios de Quipapá, São Benedito do Sul, Jaqueira e Panelas.

FEM – Com recursos na ordem de R$ 2 milhões de reais, oriundos do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM), foram concluídas obras de requalificação e urbanização em Quipapá. A intervenção estadual, contemplou a pavimentação em diversas ruas da Vila do Cruzeiro e de outras áreas da cidade, além da construção de uma praça pública. "A cidade vive hoje um dia especial pelas obras entregues e outras tantas que estão para começar. O governador pode ficar certo de que todos os investimentos destinados serão utilizados com muita responsabilidade", disse o prefeito Cristiano Martins.
.

Cortes no Governo de Pernambuco podem chegar a R$ 700 milhões

Apesar dos cortes, o Governador acredita em uma melhora no cenário nacional para folgar caixa
estadual. Uma das apostas de Paulo é alongar a dívida pública dos Estados. (Folha-PE)

Prestes a fechar a meta de cortes da máquina estadual para ganhar folga no caixa, o governador Paulo Câmara (PSB) admite que a economia prevista poderá ultrapassar a meta inicial de R$ 600 milhões. Segundo o gestor, o contingenciamento deverá ficar em torno de R$ 600 a R$ 700 milhões, o que deverá dar uma folga aos cofres estaduais para fazer investimentos. Nos últimos dias, Paulo se dedicou ao fechamento dos cortes e à pactuação das metas de cada secretaria.

“Estamos fazendo os cortes que ficaram em torno de R$ 600 a R$ 700 milhões nesse primeiro momento. Faltam poucas secretarias fecharem, mas os tetos já foram estipulados. Então, é ver exatamente as ações que vão ser priorizadas ou não nas poucas secretarias (que ainda não fecharam). Estamos andando com a expectativa que haja uma melhora econômica também que isso pode nos ajudar muito a encerrar o ano”, afirmou Paulo Câmara, ontem, após a inauguração do Terminal Integrado de Abreu e Lima.

A expectativa do chefe do Executivo é que haja uma melhora no cenário nacional para evitar o aprofundamento de medidas duras no Estado. Uma das apostas para folgar o caixa estadual é o alongamento da dívida dos Estados. A previsão era que o presidente interino Michel Temer (PMDB) se reuniria com os governadores nesta semana para negociar o pagamento, mas o encontro foi adiado. “É importante a gente ter uma definição disso porque isso pode nos dar o planejamento necessário no segundo semestre”.

ESTATÍSTICA RUIM: Mapa da Criminalidade revela que Índice de violência subiu 13,3% no estado de Pernambuco em 2015

Ano passado, a geografia da violência mudou. 56,4% dos crimes aconteceram no Interior. (Fonte: Alepe)

Em 2015, os índices de violência em Pernambuco tiveram o segundo ano seguido de aumento, com o número de assassinatos crescendo 13,3%. Foram 3.888 mortes, 454 a mais que em 2014. Com isso, a quantidade de Crimes Violentos Letais e Intencionais (CVLIs) – que englobam homicídios, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte – superou os números de 2010, quando ocorreram 3.508 mortes intencionais no Estado. Os dados são da Secretaria de Defesa Social (SDS).

No entanto, a geografia da violência mudou. Se, em 2010, metade dos CVLIs se concentrava na Região Metropolitana do Recife (RMR), no ano passado, 58% dessas mortes aconteceram no Interior. Das 454 mortes ocorridas em 2015 que superaram o quantitativo do ano anterior, 56,4% se deram no Agreste Central, Mata Norte e Sertão do São Francisco, enquanto o entorno da capital respondeu por apenas 24,9% desse aumento.

Na comparação com 2010, o Agreste Central e a Mata Norte registraram índices de assassinatos maiores que os da RMR. Já a região do São Francisco alcançou o mesmo nível de violência do Agreste Central há seis anos (ver infográfico). Por outro lado, as regiões do Pajeú e do Moxotó, no Sertão, apresentaram diminuição no total de CVLIs, enquanto outras ficaram estáveis.
.

Durante os primeiros anos de execução do Pacto pela Vida, a redução global do número de assassinatos no Estado foi consequência de uma queda significativa na Região Metropolitana, onde o índice de CVLIs diminuiu de 73,4 a cada 100 mil pessoas, em 2006, para 36,95 em 2013. Essa melhora nos índices também aconteceu no Interior, mas com menor intensidade. A partir de 2014, porém, as mortes violentas voltaram a subir, com um aumento menor na RMR e maior no Interior.

CENÁRIO NACIONAL – A tendência de interiorização da violência vem sendo detectada em todo o País desde o início deste século. No Mapa da Violência de 2012, de abrangência nacional, o pesquisador Julio Jacobo Waiselfisz identificou um fator importante nessa migração: novos polos de desenvolvimento atraem também a violência, sem que haja a mesma estrutura das capitais para que os agentes da segurança a combatam.
.

Apresentada Biografia dos ex-Prefeitos mortos na Hecatombe

Durante a cerimônia, os quadros oficiais dos ex-prefeitos, com a foto individual de cada um deles,
foram entregues oficialmente para compor a galeria de retratos dos mesmos. (Secom/PMG)

A Prefeitura de Garanhuns e a Comissão do Memorial do Centenário da Hecatombe Garanhuns realizaram, na última terça-feira (14), a cerimônia de apresentação da biografia dos ex-prefeitos Manoel Antônio de Azevedo Jardim, Francisco Veloso da Silveira, Argemiro Tavares de Miranda e Júlio da Silva Brasileiro, mortos no período da Hecatombe. A solenidade aconteceu na antessala do gabinete do prefeito Izaías Régis, no prédio do Palácio Celso Galvão.

Durante a cerimônia, os quadros oficiais dos ex-prefeitos, com a foto individual de cada um deles, foram entregues oficialmente para compor a galeria de retratos dos mesmos. Prestigiaram a solenidade familiares das vítimas, além de membros do governo municipal e a comissão do Centenário.

O fato histórico – A hecatombe marcou a história de Garanhuns pela série de assassinatos de comerciantes e políticos. O resultado da eleição de sete de janeiro de 1917 teria motivado os assassinatos. Sales Vilanova, opositor político, matou o então prefeito eleito, Júlio Brasileiro, que não chegou a tomar posse, pois seria assassinado no dia 14 de janeiro, em Recife, capital do Estado. As outras pessoas foram assassinadas dentro da cadeia pública, onde estavam sob guarda. Os documentos mostram que mais de 15 pessoas foram mortas no período.

Segue, abaixo, trechos da biografia dos ex-prefeitos:
.

Prefeito Manoel Antônio de Azevedo Jardim – Nasceu em Garanhuns no ano de 1867. Sua família chegou a Suíça Pernambucana na metade do século XVIII. Sua residência ficava na atual Praça Jardim. Recebeu sua patente de guarda nacional em 1893. Com o apoio do seu irmão Luíz Afonso de Oliveira Jardim, juiz de Direito e chefe político na região, foi eleito 2º prefeito de Garanhuns, obtendo na eleição 631 votos. Na sua administração, que se estendeu de 1895 a 1898, criou a primeira escola estadual feminina para o curso primário. Foi reeleito novamente prefeito de Garanhuns para o mandato de 1901 a 1904. Manoel Jardim, em sua trajetória política, foi concomitante prefeito de Garanhuns e Canhotinho e eleito Deputado Estadual em duas oportunidades.

Prefeito Francisco Veloso da Silveira – Nasceu em 1862. Era proprietário de farmácia em Garanhuns e dono de fazenda de café, na época, localizada em São João. Sua patente de guarda nacional foi recebida em setembro de 1897. Foi eleito prefeito de Garanhuns em 10 de setembro de 1898, obtendo 558 votos, enquanto seu adversário, o Alferes Joaquim Correia Brasil Junior, obteve 131 votos. Seu mandato foi concluído em 1901. Durante a sua administração foram realizadas melhoramentos urbanos, calçando algumas ruas da cidade.

Em 10 de julho de 1904 voltou a concorrer ao cargo de prefeito do município, sendo reeleito. No seu segundo mandato a sua visão política concentrou-se no sentido de melhorar a iluminação pública, substituindo a iluminação de lampiões de querosene por carbureto em postes de madeira. A atual Avenida santo Antônio foi servida por oito desses postes. Em sua trajetória política foi eleito por Garanhuns como Deputado Estadual.

Prefeito Argemiro Tavares de Miranda – Nasceu em Garanhuns em 1869, com a família oriunda do município de Panelas. Era fazendeiro de café e proprietário do principal armazém de Garanhuns. Argemiro se destacou como comerciante em Garanhuns e Recife, sendo eleito prefeito de Garanhuns em 22 de março de 1911, após haver uma nova eleição para o preenchimento do cargo do executivo, em virtude da renúncia do prefeito Antônio Isaac de Macedo. Devido a perseguições políticas e restrições financeiras impostas pelo governador General Dantas Barreto, o tenente-coronel Argemiro Miranda renunciou ao cargo em fevereiro de 1912.

Prefeito Júlio Euthymio da Silva Brasileiro – O tenente-coronel prefeito Júlio Euthymio da Silva Brasileiro nasceu em Garanhuns em 30 de outubro de 1867. Iniciou na política apoiando o partido do Dr. Luís Afonso de Oliveira Jardim, juiz de Direito e chefe político em Garanhuns. Na eleição de 1911 para Governador do Estado, apoiou juntamente com Dr. Antônio Souto Filho o General Dantas Barreto, consequentemente com a renúncia de Argemiro Miranda, para ocupar o cargo vago foi realizada nova eleição, sendo eleito o Coronel Júlio Brasileiro em 30 de março de 1912 obtendo 1.138 votos contra 331 do Coronel Hemetério Souto.

A posse aconteceu em 22 de maio de 1912, ocasião em que renunciou os seus ordenados em favor dos cofres públicos. Na sua administração deu início a arborização da cidade, o processo de eletrificação e água encanada. Concluído seu mandato foi eleito Deputado Estadual em 1914. Em 10 de julho de 1916 foi novamente candidato a prefeito de Garanhuns. Embora sendo eleito com 1.114 votos, uma nova eleição foi marcada para 7 de janeiro de 1917, dessa vez concorreria sozinho, pois a oposição retirara sua candidatura. Realizada a eleição o resultado sairia um mês depois, mas o Coronel Júlio Brasileiro não chegaria a tomar posse, pois seria assassinado no dia 14 de janeiro, em Recife (PE).