quarta-feira, 30 de março de 2016

SALÁRIO DE R$ 2.400 REAIS: Secretaria Estadual de Saúde abre Seleção Simplificada com oferta de 67 postos

Seleção Simplificada promovida pela SAD, ocorre em razão da
excepcional situação de interesse público da Secretaria Estadual de Saúde (SES).

A Secretaria Estadual de Saúde (SES), divulgou através de publicação realizada no Diário Oficial do Estado de Pernambuco na última quarta-feira (30), a realização de um processo de Seleção Pública Simplificada destinada ao preenchimento imediato de 67 profissionais de nível superior nas áreas de saúde, educação e ciências sociais, para atuação nos Cantos Mãe, do Programa Mãe Coruja Pernambucana, espalhados nas 12 Regiões de Saúde do Estado.

Através da portaria conjunta promovida pela SAD/SES nº 35 e ainda de acordo com a autorização contida no Decreto nº 42.786, de 17 de março de 2016, fica aberto o processo seletivo que visa contratação temporária de profissionais para atuarem como técnico de monitoramento e avaliação, além de gestor de ações do Programa Mãe Coruja. De acordo com informações do edital, trinta (30) horas serão trabalhadas semanalmente por estes profissionais, que terão como salário/remuneração: R$ 2.400 reais.

Quanto a seletiva, ela será efetivada através de Avaliação Curricular de caráter classificatório e eliminatório, podendo os currículos serem enviados até 13 de abril deste ano, via postal, à Diretoria de Políticas Estratégicas do Programa Mãe Coruja, situada na Rua Dona Maria Augusta Nogueira, nº 519, Bongi - Recife – PE.

Para a seleção, promovida pela Secretaria de Administração do Governo do Estado, vale salientar que ela corre em razão da excepcional situação de interesse público da Secretaria Estadual de Saúde (SES) e que o prazo de validade do certame, de acordo com a publicação do Diário, será de 24 (vinte e quatro) meses, podendo o mesmo ser prorrogado por igual período, a contar da homologação do resultado final. Mais informações você consegue através do www.saude.pe.gov.brEstão reservadas dez vagas para o Agreste Meridional, por intermédio da 5ª Gerencia Regional de Saúde (5ª GERES).

         Acesse o Edital clicando AQUI.

ROMÁRIO DIAS: “Suspensão de voo Recife-Miami afeta negativamente o turismo, a economia e empregos em Pernambuco"

Analisando os impactos negativos da decisão para a economia de Pernambuco, Romário
propôs que a ALEPE se articule, junto com o Poder Executivo estadual, para reverter a situação.

O anúncio da suspensão dos voos Recife-Miami, operados pela companhia aérea American Airlines, motivou o discurso do deputado Romário Dias (PSD) no Grande Expediente desta quarta (30). Segundo a empresa americana, a interrupção do serviço se dará de 5 de maio a 15 de dezembro deste ano. Analisando os impactos negativos da decisão para a economia e para o turismo de Pernambuco, o parlamentar propôs que a Casa se articule, junto com o Poder Executivo estadual, para reverter a situação.

“Precisamos pensar em providências a tomar, pois a decisão afeta negativamente o turismo no nosso litoral, a nossa economia e a manutenção de empregos”, analisou. Dias lembrou que a decisão ocorre mesmo com a ampliação dos incentivos concedidos à aviação civil, garantida a partir da aprovação da Lei n°15.723/2016, publicada no último dia 10 de março. A norma, de autoria do Executivo, reduziu ainda mais a base de cálculo do ICMS que incide sobre o querosene da aviação.

O discurso recebeu apartes do primeiro-secretário, deputado Diogo Moraes (PSB), e do líder da Oposição, Sílvio Costa Filho (PRB). “Além da suspensão de voos, também temos visto companhias diminuindo a frequência das ofertas. Isso nos preocupa porque o turismo é um dos grandes vetores de nossa economia”, comentou Moraes. “O Governo do Estado deve procurar a companhia aérea e verificar se é possível atender às contrapartidas que ela vier a exigir”, propôs Costa Filho.

A PEDIDO DA PROCURADORIA: Liminar do TRE-PE suspende propaganda na tv do Deputado Eduardo da Fonte (PP)

Veiculação foi interrompida a pedido do Ministério Público Eleitoral, em função do 
uso irregular de propaganda partidária para promoção pessoal do deputado Eduardo da Fonte.

A pedido da Procuradoria Regional Eleitoral em Pernambuco (PRE-PE), o corregedor do Tribunal Regional Eleitoral de Pernambuco (TRE-PE), Paulo Victor Vasconcelos de Almeida, determinou, em decisão liminar, a suspensão imediata da veiculação das inserções de propagandas partidária do Partido Progressista (PP), exibidas nos dias 25 e 28 deste mês, com datas para exibições nos próximos dia 30 de março e 1º de abril.

As inserções partidárias, previstas no calendário da propaganda eleitoral gratuita, destinam-se à divulgação dos programas e da ideologia dos partidos políticos, com o objetivo de conquistar simpatizantes, futuros filiados e eleitores. Entretanto, segundo a PRE-PE, o espaço foi usado irregularmente para promover a figura pessoal do deputado Eduardo da Fonte – presidente do Diretório Regional do PP –, privilegiando a imagem do político em relação às ideias do partido.

Diz o narrador em um dos trechos da propaganda: “As famílias pernambucanas estão sofrendo com o grande número de casos de microcefalia no Estado. O deputado Federal Eduardo da Fonte apresentou um projeto de lei que obriga o governo federal a conceder uma pensão mensal e vitalícia, no limite máximo do regime geral da previdência pessoa com microcefalia, provocada pelo mosquito transmissor do Zika Vírus”. O desfecho da inserção exibia em letras garrafais o nome do parlamentar, com o título “Prestação de Contas – Eduardo da Fonte, Deputado Federal”.

Para a PRE-PE, a propaganda veiculada pelo PP infringe a Lei dos Partidos Políticos, que veda expressamente “a divulgação de propaganda de candidatos a cargos eletivos e a defesa de interesses pessoais ou de outros partidos” (artigo 45, § 1º, inciso II). Além disso, fere o artigo 242 do Código Eleitoral, por criar na opinião pública um estado emocional com a veiculação da imagem de um bebê com microcefalia, valendo-se da comoção generalizada que ronda o país diante desse grave problema de saúde pública.

Independentemente da decisão liminar que suspendeu a veiculação da propaganda partidária do PP, o TRE-PE ainda julgará a representação do Ministério Público Eleitoral. Se for condenado, o partido poderá perder, no semestre seguinte à decisão judicial definitiva, o equivalente a cinco vezes o tempo da inserção ilícita.