domingo, 3 de janeiro de 2016

NOS DIAS 4 e 5 DE JANEIRO Pedra realiza sua tradicional FESTA DE REIS

NOTA DE REPÚDIO: Ivan Rodrigues diz que Câmara de Vereadores de Garanhuns se ocupa de assuntos inócuos


Amigos,

Com referência à uma nota de repúdio ao Governador Paulo Câmara aprovada na Câmara Municipal, só tenho a lamentar que a nossa Câmara de Vereadores, que não fez a menor manifestação acerca da malfadada extinção do Festival de Jazz, esteja se ocupando de assuntos inócuos e dispensáveis.

Explico: Meu querido parente e amigo Audálio Filho, de forma açodada e sem maiores informações, escreve na justificação do seu projeto que o mestre Michel Zaidan “VEM SOFRENDO UMA GRANDE PERSEGUIÇÃO POR PARTE DO GOVERNADOR PAULO CÂMARA QUE VEM MOVENDO UMA AÇÃO CONTRA O EDUCADOR”, sem explicitar maiores detalhes sobre a questão.

Pra começo de conversa, nosso Audálio situa sua observação no tempo de gerúndio para dar a entender que a perseguição é constante e persistente. Até parece que o Governador não tem outros encargos para cuidar, com a Nação em crise, o desemprego aumentando, Estados e Municípios pagando salários com atraso e em Pernambuco o objetivo mais importante é a farisaica desculpa de “liberdade de expressão” utilizada por um articulista, ao descambar para o terreno pessoal, e atingir o Governador que se sentiu violentado em sua honra pessoal. Todos sabem que liberdade sem responsabilidade, em qualquer circunstância, é anarquia e anti-democrática, na medida em que atingir à honra alheia.

O que chamam de “grande perseguição” foi a única iniciativa do Governador de recorrer à Justiça (não é assim que se faz nos Estados de Direito?) para reclamar dos seus direitos de ofendido. Desafio qualquer um para indicar qualquer outro ato, ou providência, ou declaração, ou medida no sentido de perseguição ao nosso ilustre mestre e conterrâneo, filho de querida família garanhuense e criado na circunscrição das sete colinas. Até porque é servidor federal, cujo chefe imediato é o nosso parente e amigo Reitor Anísio Brasileiro, também aldeão das sete colinas e que tem como supremo mandatário, como todos nós, a Presidente Dilma.

Desde quando, Srs. Vereadores, recorrer à Justiça em exercício do seu direito de cidadania, representa uma “grande perseguição” a quem quer que seja ? Isso é democracia, senhores, e a sua prática deve ser vigilante e constante para que, em nome dela, não sejam praticados os piores crimes. Muitos dos que hoje arrotam os jargões democráticos, passaram os longos anos dos regimes de exceção aplaudindo e apoiando as torturas e mortes nos porões do sistema.

Continuo reiterando como um carma “A coerência é o mais espinhoso caminho da democracia!”

Abraço, do amigo Ivan Rodrigues

DESEMPREGO EM 2016 será pior do que em 2015, dizem economistas

O único setor que deve continuar apresentando bom desempenho é o 
agronegócio - Foto: Camila Domingues/ Palácio Piratini

Com informações do
JC Online

Em 2015, os brasileiros enfrentaram o fechamento de postos de trabalho em decorrência das dificuldades econômicas no país. Em 2016, o cenário pode se repetir, segundo avaliação de especialistas.

Para o vice-diretor da Faculdade de Economia da Universidade Federal Fluminense (UFF), Renaut Michel, a taxa de desemprego no Brasil deverá continuar crescendo em 2016, por causa da queda no nível da atividade econômica. “Não há nenhum tipo de expectativa positiva”, disse o especialista em mercado de trabalho.

Para Renaut Michel, embora a construção civil, um dos setores que mais empregam no país, tenha sentido mais os impactos da crise, outros setores da indústria poderão ser afetados este ano. “A indústria já vem mal há um bom tempo. Enfrenta um problema sério de perda de competitividade, de queda de investimentos. Minha expectativa é que continue um ano muito ruim para a indústria, mas em alguma medida vai afetar também o comércio e o serviço, porque o ambiente de incertezas está levando as famílias a consumirem menos. Em consequência disso, os empresários investem menos e bancos também não emprestam”.

O único setor que deve continuar apresentando bom desempenho é o agronegócio. “Mas não vai conseguir ser suficiente para minimizar o impacto muito ruim da trajetória do emprego nos próximos meses”, acrescentou.

Já o professor João Luiz Maurity Sabóia, do Instituto de Economia da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), lembra que em outubro do ano passado, a taxa de desemprego era 7,9%, conforme a Pesquisa Mensal de Emprego (PME), do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). A taxa era praticamente a mesma registrada em 2008, que foi 7,5%, no auge da crise econômica internacional.

“Foram dez anos de melhoras sucessivas no mercado de trabalho, e boa parte disso, infelizmente, em um ano de recessão foi revertida”, disse o professor, em referência ao salário e ao número de postos de trabalho gerados no período.

Para Sabóia, os problemas enfrentados em 2015 causaram efeito pior no mercado de trabalho, em comparação aos impactos da crise internacional. “Aquilo [2008] foi um momento de desaceleração, mas não chegou a ser de piora do mercado de trabalho. E você sustentou esse movimento, praticamente, até o ano passado”.

DESEMPREGO

Os metalúrgicos foram umas das categorias afetadas pelo desemprego no ano de 2015. De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de Niterói e São Gonçalo, Edson Rocha, 7,5 mil metalúrgicos foram demitidos nos dois municípios. Desses, 3,3 mil ainda não receberam indenização. A maioria dos demitidos da construção naval está “fazendo bicos”, enquanto não arruma um novo emprego, relatou Rocha.

Odair Francisco da Silva é um dos que perderam o emprego. Ele trabalhava no Estaleiro Eisa-Petro Um, antigo Estaleiro Mauá, em Niterói. Casado e pai de quatro filhas, Odair recorreu à ajuda de parentes. “Estou me virando e, infelizmente, incomodando os outros”, disse. A mulher do operário, que não trabalhava fora, hoje faz faxina. Os pais de Odair, ambos aposentados e ganhando um salário mínimo cada, o “socorrem, na medida do possível”.

O soldador Luís Silva Coelho foi dispensado do emprego e procura vaga na mesma área. “Trabalho está difícil. Tem que correr atrás. Tenho filho para dar conta”, disse.

NOVA DIRETORIA: Ronnie Duarte assume gestão da OAB-PE para o triênio 2016-2018


Por Marcelo Montanini
Da Folha de Pernambuco

A nova diretoria da Ordem dos Advogados do Brasil seccional Pernambuco (OAB-PE) assumiu na sexta-feira (1) a gestão do triênio 2016-2018, em um ato formal na sede da OAB, no bairro de Santo Antônio. A posse solene ocorrerá no dia 15 de fevereiro, às 19h, no Teatro do Hospital Pedro II/Imip, no bairro dos Coelhos. Em seu primeiro dia à frente da entidade, o novo presidente Ronnie Duarte (foto) avaliou que 2016 será um ano difícil e, como primeiro ato de gestão, instituiu três comissões.

Duarte sucede o ex-presidente Pedro Henrique Reynaldo. Como primeira ação à frente da entidade, Duarte baixou uma portaria instituindo três comissões e nomeando seus respectivos presidentes: Comissão de Combate à Corrupção, que será presidida por Fernando Araújo e terá cinco membros, a Comissão do Advogado em situação Empregatícia, que ficará sob o comando de João Paulo Neres Batista e contará com 15 membros, assim como a Comissão do Advogado em situação Associativa, que será regida por Marcelo Porto Neves.

Segundo ele, estas duas últimas comissões têm como objetivo debater e verificar problemas e o que pode ser feito pela entidade para resolver; posteriormente, será formada uma comissão institucional com representantes de escritórios advocatícios, será realizada campanha informativa e abrirá canais de denúncia para combater a precarização no exercício da profissão.

“Temos uma grande responsabilidade que é conduzir uma classe que é formada por mais de 30 mil advogados em Pernambuco e vamos avançar na implementação de projeto se ações que valorizem a classe”, disse.

Diante da atual conjuntura Duarte avaliou que o ano de 2016 prenuncia dificuldades “Passamos por uma crise ética sem precedentes e crise econômica de grandes proporções. Antevejo um ano difícil mas sou otimista. Acredite que sociedade brasileira vai superar os desafios e abrir processo de depuração da sociedade política. Diante disso modelo de eleição deve ser revisto”, analisou.

Além de novo presidente, estiveram presentes no ato o vice-presidente Leonardo Accioly, o secretário-geral Fernando Ribeiro Lins, a secretária-geral adjunta Luciana Brasileiro, a tesoureira Silvia Nogueira, o presidente da Caixa de Assistência ao Advogado de Pernambuco (CAAPE), Bruno Baptista, e o diretor geral da Escola Superior de Advocacia de Pernambuco (ESA-PE), Carlos Neves.

EM 2016 MENDONÇA FILHO não será mais o líder do DEM na Câmara dos Deputados

Deputado Mendonça Filho encerra seu mandato como presidente do DEM na 
Câmara em fevereiro (Foto: Antonio Cruz/Agência Brasil)

Por Marcelo Montanini
Da Folha de Pernambuco

       Prestes a entregar a liderança do DEM na Câmara Federal, em fevereiro, o deputado Mendonça Filho fez um balanço, na sexta-feira (1), do protagonismo que alcançou no cenário nacional em 2015, com o integrante da oposição ao governo Dilma Rousseff. Diante da crise política e econômica que assolou o País, o democrata avalia que cumpriu o seu papel e, com isso, sua legenda saiu fortalecida para as eleições municipais deste ano.

A saída de Mendonça da liderança da sigla será realizada na volta do recesso parlamentar. Os dois nomes indicados para assumir a função na bancada são Pauderney Avelino (AM) e Efraim Filho (PB). Apesar do nome de Avelino ser o mais cotado para assumir a função, Mendonça disse que preferia não comentar sobre a indicação. Em um breve balanço de sua atuação, acredita ter tido protagonismo nos assuntos relevantes debatido no Congresso Nacional e, sobretudo, no processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT), à qual faz oposição.

“Cumpri bem o meu papel (de líder do DEM), exerci o papel básico de contrapor governo e isso ajudou a fortalecer o partido no cenário nacional e no local também mas não tem agenda casada (com a eleição municipal)” avaliou.

Questionado sobre uma possível candidatura do DEM no Recife, Mendonça não desconsiderou a possibilidade, mas também não quis se antecipar.

“Vamos começar conversar em março. Se eu disser que não vai haver candidato, não precisaria ter discussão. Difícil falar sobre iss agora”, ponderou, acrescentando que a decisão só deve sair em abril. Outro nome especulado para uma candidatura do DEM é o da deputada estadual Priscila Krause.