segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Após 10 dias, chega ao fim, o 26º Festival de Inverno de Garanhuns

Foram 500 ações artísticas de todos os segmentos, em mais de vinte polos de programação. O público
circulante chegou a marca das 350 mil pessoas durante os dez dias do evento (Secom - PMG).

Depois de intensos dez dias de atividades artísticas, culturais e de formação, pela 26ª vez, o Festival de Inverno de Garanhuns se consagra como um dos maiores do país, pela qualidade, diversidade e público visitante. Homenageando o músico Naná Vasconcelos, pela sua brilhante contribuição à arte e a cultura do país, o 26º FIG foi um sucesso e atraiu visitantes e turistas de todo agreste e outras partes do país.

Tendo como grande vitrine o palco da Praça Mestre Dominguinhos – onde se apresentaram grandes nomes da música nacional, a exemplo este ano de Gal Costa, Elza Soares, Elba Ramalho, Alceu Valença, Zeca Baleiro, Otto, Margareth Menezes e Biquini Cavadão – o FIG é cada vez mais, também, das artes visuais, do teatro, do circo, da dança, da literatura, do audiovisual, do artesanato, dos patrimônios culturais, dos pontos de cultura e também da educação. 

Foram 500 ações artísticas de todos os segmentos, em mais de vinte polos de programação, e um público circulante que girou em torno de 350 mil pessoas. O orçamento reduzido não impactou na qualidade das ações e no incremento do formato. Este ano, algumas novidades foram apresentadas: o projeto Som na Rural, que durante oito dias apresentou uma mostra de músicos e bandas da cena contemporânea mais autoral e experimental de Pernambuco.

Destaque também para a 1ª Mostra de Teatro Alternativo, na Casa Galeria Galpão, bem como a realização de 15 Intervenções Teatrais de Rua, ação que pretende atingir novos públicos para o teatro. Feito em parceria com o Movimento de Teatro Popular de Pernambuco, aconteceu nas ruas, feiras e praças, com diversos grupos de teatro de rua com uma proposta dramatúrgica de discutir temas e questões comuns que fazem parte da realidade de muitos, como o racismo, a política, a violência contra a mulher, etc. Estima-se que até 7 mil pessoas tenham sido atingidas com esta ação.

Novidade também foi a volta do circo para o Parque Euclides Dourado, a mudança de endereço do Palco Pop Forró e a ampliação do projeto Outras Palavras, um programa da Fundarpe e Secult de estímulo a ações articuladas entre Cultura e Educação.

Realizado pelo Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria de Cultura de Pernambuco e da Fundarpe, o FIG, este ano contou com recursos públicos da ordem de R$ 6.5 milhões. Em 2015, o Governo do Estado celebrou parcerias importantes. Além da Prefeitura de Garanhuns, o evento contou com a CEPE e o Sesc, que custearam ações na Praça da Palavra, além de no teatro e dança. Já o Sebrae, foi parceiro na execução do Armazém da Arte e Negócios, que levou mestres artesãos pernambucanos para expor e vender seus produtos no Pavilhão. Com público recorde, o Armazém promoveu negócios na ordem de R$ 100 mil reais.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário