domingo, 10 de julho de 2016

Ciro garante que só será candidato em 2018, caso Lula não seja

"O Lula deveria dar passagem para que se construa algo que não carregue o peso da contradição que levou 
Brasil a essa tragédia", defende o recém filiado ao PDT, Ciro Gomes. (Folha de Pernambuco).

O ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT), disse nesta semana nos EUA que não será candidato à Presidência na próxima eleições caso o ex-presidente Lula esteja na disputa. Para Ciro, é inegável que Lula tem responsabilidade pela crise política no país.

"O Lula deveria dar passagem para que se construa algo que não carregue o peso da contradição que levou o Brasil a essa tragédia", afirmou. "Vamos ter clareza, quem é o responsável por esta tragédia, remotamente, embora tenha sido traído em sua boa fé, e vamos acreditar nisso, foi o Lula. Ele que botou o Michel Temer de vice, ele que empoderou com Furnas e com a vice-presidência da Caixa o Eduardo Cunha. Como será ele agora o candidato para negar isso?".

Em debate no centro de estudos Atlantic Council, em Washington, na quarta (6), o ex-ministro da Integração Nacional do governo Lula não quis anunciar oficialmente que é candidato, porém disse que "poderá ser". Mas só se o petista não estiver na disputa e os partidos de esquerda se unirem. Caso contrário, não disputará a Presidência.

"Não tem lugar, não tem lugar. Hoje no Congresso, na Câmara Federal, os setores progressistas são cinco partidos que não chegam a cem deputados. Estes cinco partidos tem quatro candidatos [à Presidência]", disse Ciro. "Você acha responsável isso com o país diante da avassaladora onda conservadora, golpista que o país está atravessando? Não pretendo participar desta irresponsabilidade." Ciro concorreu à Presidência duas vezes, em 1998 e 2002, quando recebeu 10,2 milhões de votos. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário