segunda-feira, 11 de julho de 2016

“Atuação do DER pode salvar vidas”, garante Mário Faustino ao defender melhor funcionamento do órgão para o Agreste Meridional

“O DER está com sua atuação comprometida! Não há sequer uma máquina em plena 
operação e o corpo de funcionários não atua”, ainda afirma Faustino.

Criado a partir do Decreto-Lei nº 1463, de 17 de setembro de 1946, passando a funcionar ainda no mês de novembro daquele mesmo ano, a partir de um desmembramento da Secretaria de Viação e Obras Públicas do Estado de Pernambuco; o Departamento de Estradas e Rodagens (DER), tem a seu encargo a responsabilidade de administrar a malha rodoviária estadual. Cabe ao DER, de acordo com sua competência; a manutenção da rodoviais estaduais, as chamadas “PE”, no tocante ao recapeamento, sinalização, estudos, projetos, conservação, operação e obras de arte rodoviárias compreendidas no Plano Rodoviário Estadual, planos complementares e programas anuais especiais definidos pela Secretaria de Transportes do Estado.

Contudo, a situação de momento na atuação do DER aqui na Região Agreste Meridional tem destoado de sua real competência, já que o órgão sofre com problemas em sua infraestrutura de funcionamento. Um desses problemas se refere as máquinas disponíveis aquele departamento, que não estão em condições de plena atividade. Além disso, o DER com sede em Garanhuns, que já não tem a sua disposição uma frota para atuação junto a malha rodoviária do Agreste Meridional, que chega próximo dos 1.000 mil quilômetros, ainda tem seus servidores hipotecados, ou seja: cumprindo carga horária em outros organismos do estado aqui na cidade, já que estes não podem desempenhar suas atividades de trabalho no departamento.
.

Outra questão que tem interferido nas atividades do DER aqui em Garanhuns é que, segundo informações, o órgão deixou de ter plena atuação nas execuções dos serviços à ele atribuído, uma vez que uma empresa terceirizada, recém licitada, vem de forma paralela e paliativa, executando os trabalhos de recapeamento, sinalização e manutenção, entre outros, da malha rodoviária da região. Com isso o DER encontra-se com atuação técnica/administrativa, sendo que por competência, deveria executar esses trabalhos. Dos cerca de 60 funcionários efetivos, apenas 11 estão atuando no órgão em Garanhuns.

Preocupado com a operação “limitada” do DER/Agreste Meridional e visando o pleno funcionamento do departamento, o ex-vereador Mário Faustino, que esteve em recente visita a sede do órgão, deve, em breve, solicitar uma audiência pública com o Secretário de Transportes de Pernambuco, Sebastião Oliveira, para que o Governo de Pernambuco tome conhecimento da situação, para assim, poder atuar junto as demandas do órgão, que de acordo com Faustino: “pode salvar vidas”.

“O DER está com sua atuação comprometida! Não há sequer uma máquina em plena operação. O corpo de funcionários não atua em razão de não haver condições para que ele execute suas atividades. Com isso toda malha rodoviária do Agreste Meridional fica comprometida. A ideia é colocar todo mundo para trabalhar. Para isso, vamos buscar junto à Sebastião Oliveira (Secretário de Transportes) e ao Governador Paulo Câmara, uma posição firme quanto a essa situação. A atuação do DER pode salvar vidas, através da sinalização ou recapeamento que acabam evitando acidentes. Nós precisamos de uma atuação permanente desse órgão em nossa região”, defende Mário.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário