sábado, 11 de junho de 2016

DECISÃO DA JUSTIÇA: ‘Japonês da federal’ é solto, volta a trabalhar, mas terá de usar tornozeleira eletrônica

Ishii continuará atuando na Polícia Federal em um cargo interno, mas por enquanto,
o órgão não especificou qual será a função dele. (Fonte: www.oolho.com.br)

O policial federal Newton Ishii, conhecido popularmente como o "Japonês da Federal", colocou nesta sexta-feira, 10 de junho, tornozeleira eletrônica por ter sido condenado a quatro anos, dois meses e 21 dias de prisão, já que facilitou a entrada de contrabando no país. A pena será cumprida no regime semiaberto harmonizado, ou seja, o agente ficará em sua residência com algumas restrições da Justiça – deverá estar em casa entre 23h e 5h durante a semana e está impedido de sair nos fins de semana.

Ishii continuará atuando na Polícia Federal em um cargo interno. Por enquanto, a PF ainda não especificou qual será a função. Conforme a decisão, o agente não poderá sair de Curitiba e Região Metropolitana sem a prévia autorização da Justiça. A medida alternativa foi adotada, segundo a  juíza Luciani Maronezi, em virtude da falta de vagas no sistema penitenciário para o cumprimento do regime semiaberto tradicional.

Além disso, conforme a decisão, o réu, o Policial Federal, Newton Ishii é primário; não cometeu crime mediante violência ou ameaça grave, bem como não possui outro fato que desabone a sua conduta de agente. O monitoramento ocorrerá até 21 de outubro deste ano, quando deverá ser revisto o regime. Quando Ishii foi condenado, em 2009, ele era aposentado e, portanto, a Justiça não fez nenhuma determinação relacionada a trabalho. Depois da condenação, o Tribunal de Contas da União (TCU) considerou a aposentadoria dele irregular por causa da contagem de tempo de serviço

Nenhum comentário:

Postar um comentário