domingo, 19 de junho de 2016

Em Garanhuns, mobilização defendeu o Bolsa Família e o Suas

Com carros de som, faixas e palavras de ordem, os manifestantes defenderam os avanços conquistados 
pelo SUAS, que agora, de acordo com eles, estão sendo desfeitos pelo Presidente Michel Temer.

Garanhuns se uniu a representantes de outras 26 cidades, que juntas formam o Agreste Meridional de Pernambuco, e foi palco na tarde da última quarta-feira (15), para uma mobilização regional, que vem ocorrendo em nível nacional intitulada de “Avante Suas”. A mobilização, que partiu da praça Cultural Mestre Dominguinhos com destino final ao largo do colunata, centro da cidade, percorreu ao todo, cerca de 10 ruas e foi organizada pelos Colegiados Estadual e Nacional de Gestores Municipais de Assistência Social; Coegemas e Congemas, respectivamente, em parceria com o FNUSUAS com a jornalista Selma Mello, o FEUSUAS, além do Conselho Municipal de Assistência Social.

Com carros de som, bandeiras, faixas, apitos e palavras de ordem, que bradavam por exemplo “Em defesa do Suas e do Bolsa Família”, “Nenhum direito a Menos! Avante Suas” e ainda “Retrocesso não! Mobilização em defesa do suas”, os profissionais da área de assistência social defenderam os avanços conquistados pelo Sistema Único da Assistência Social (SUAS); a exemplo do Bolsa Família, que agora, de acordo com eles, estão sendo desfeitos pelo Presidente interino Michel Temer.

Sobretudo, a mobilização se posicionou contrária as mudanças sofridas na política de assistência social do país. Dois casos mais específicos são o da transferência do Programa Bolsa Família para administração do Instituto Nacional de Seguridade Social, o INSS, e o da fusão do Ministério do Desenvolvimento Social e Combate a Fome (MDS) com o do Desenvolvimento Agrário (Agricultura). Sobre o Bolsa Família, os manifestantes defenderam que a gestão do Programa deve ocorrer através das Centrais do Cadastro Único para Programas Sociais (CadÚNICO), e não por intermédio do INSS, como quer o atual Governo peemedebista de Michel Temer.
.

         Com as medidas colocadas em prática pelo Governo Federal, de acordo com os manifestantes ouvidos por nossa redação na quarta-feira, a tendência é de que passe a ser competência, por exemplo, da Política Pública de Assistência Social, a manutenção de comunidades terapêuticas. Na prática, isso significa dizer, as Secretarias de Assistência Social dos municípios terão de oferecer atendimentos de saúde, disponibilizando neste caso, médicos, enfermeiros e Psicólogos; algo que não compete a essa política, já que os profissionais mencionados não são trabalhadores do Sistema Único de Assistência Social (SUAS), mas sim do Sistema Único de Saúde, o SUS.

Ainda segundo os trabalhadores do Suas, do Agreste Meridional, as posições adotadas pelo Governo Temer, que eles ironizaram à nossa redação, chamando de “Governo Tremer”, devem implicar ainda na perda significativa de postos de trabalho, uma vez que recursos destinados pela União ao sistema, passarão à ser dirigidos à outra esfera administrativa. A polícia militar acompanhou a mobilização, mas não informou o número de participantes. Já de acordo com os organizadores da mobilização, o público presente foi de pouco mais de duas mil pessoas.
.

Clique em player e confira o vídeo que registra parte do protesto ocorrido em Garanhuns
na quarta-feira (15). A mobilização, teve como uma das organizadoras, a jornalista Selma Melo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário