sexta-feira, 17 de junho de 2016

Cortes no Governo de Pernambuco podem chegar a R$ 700 milhões

Apesar dos cortes, o Governador acredita em uma melhora no cenário nacional para folgar caixa
estadual. Uma das apostas de Paulo é alongar a dívida pública dos Estados. (Folha-PE)

Prestes a fechar a meta de cortes da máquina estadual para ganhar folga no caixa, o governador Paulo Câmara (PSB) admite que a economia prevista poderá ultrapassar a meta inicial de R$ 600 milhões. Segundo o gestor, o contingenciamento deverá ficar em torno de R$ 600 a R$ 700 milhões, o que deverá dar uma folga aos cofres estaduais para fazer investimentos. Nos últimos dias, Paulo se dedicou ao fechamento dos cortes e à pactuação das metas de cada secretaria.

“Estamos fazendo os cortes que ficaram em torno de R$ 600 a R$ 700 milhões nesse primeiro momento. Faltam poucas secretarias fecharem, mas os tetos já foram estipulados. Então, é ver exatamente as ações que vão ser priorizadas ou não nas poucas secretarias (que ainda não fecharam). Estamos andando com a expectativa que haja uma melhora econômica também que isso pode nos ajudar muito a encerrar o ano”, afirmou Paulo Câmara, ontem, após a inauguração do Terminal Integrado de Abreu e Lima.

A expectativa do chefe do Executivo é que haja uma melhora no cenário nacional para evitar o aprofundamento de medidas duras no Estado. Uma das apostas para folgar o caixa estadual é o alongamento da dívida dos Estados. A previsão era que o presidente interino Michel Temer (PMDB) se reuniria com os governadores nesta semana para negociar o pagamento, mas o encontro foi adiado. “É importante a gente ter uma definição disso porque isso pode nos dar o planejamento necessário no segundo semestre”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário