.

.

quarta-feira, 25 de maio de 2016

Seca afeta quase 70% dos municípios pernambucanos. Situação em Garanhuns é relativamente confortável, aponta APAC

A situação de emergência é decretada em razão de desastre que incapacita o estado ou o município 
atingido. Em Garanhuns, a situação é relativamente confortável, apontam os números da APAC.

Quase 70% dos 185 municípios pernambucanos estão em estado de emergência, por causa da estiagem, que entra pelo quarto ano consecutivo. A situação é decretada em razão de desastre, onde os executivos, estadual e municipal situem-se incapacitados a responder pelas consequências sozinhos, necessitando, portanto, de auxílio complementar do Governo Federal para ações de socorro e recuperação.

Nesta terça-feira (24), a Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil publicou no Diário Oficial da União (DOU), a relação completa das cidades brasileiras enquadradas neste cenário. O status de situação de emergência, possibilita que o município receba, por exemplo, recursos e equipes federais com objetivo prioritário de minimizar os estragos e atender as necessidades básicas da população, além de dispensar, processos licitatórios para serviços urgentes relacionados ao desastre.

Com relação ao acesso a água, a seca é mais severa no Agreste pernambucano, onde as principais fontes de abastecimento estão quase vazias. Informações da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), indicam que dez cidades estão em estado de colapso completo, o que significa dizer, portanto, que não contam com água encanada, tendo que recorrer a contratação de carros-pipa para o abastecimento do líquido precioso, caso das cidades de Águas Belas, Alagoinha, Jataúba, Jucati, Jupi, Pedra, Poção, Santa Cruz da Baixa Verde, Taquaritinga do Norte e Venturosa.

Quanto aos reservatórios de água aqui em Garanhuns, a situação de momento é relativamente confortável. O nosso maior reservatório, a barragem do Cajueiro, (Mundaú II), - que pode estocar 19 milhões de metros cúbicos de água, está com 75%  de sua capacidade preenchida, cerca de 14 milhões e 600 mil. Já Inhumas, que é bem menor e que comporta ao total, quase 8 milhões de metros cúbicos, está com 4 milhões e 400 mil, o que em percentual, equivale dizer que 55% dela está ocupada. Quanto a Mundaú 1, ela tem capacidade de cerca de 2 milhões de metros cúbicos, sendo que atualmente, está pela “proa” (100% ocupada).
.

Distrito de São Pedro: Com problemas mesmo está a população de São Pedro, distrito de Garanhuns. É que a barragem da Cajarana, que abastece aquela população está em estado de colapso, dado que o último boletim da APAC afirma que zero é o percentual de água acumulada. Nesse contexto, aparece o empresário e ex-vereador Mário Faustino (foto acima de branco), que remeteu pedido a Casa Civil, para que a adutora Garanhuns/Jucati, leve água aquela localidade. Além São Pedro, outras regiões devem ser contempladas com o pedido de Faustino, a exemplo de São Vicente, Sítio Papa Terra e Povoado Cachoeirinha do Francisco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário