terça-feira, 15 de março de 2016

LULA VAI PARA SECRETARIA DE GOVERNO: "Se tudo ruir, ao menos o projeto não morre só na mão dela", observa um ministro

A pressão para Lula assumir um ministério cresceu após a manifestação
recorde contra ele e Dilma neste domingo (13).

Da Folha de Pernambuco
Foto: O Estadão

Integrantes da cúpula da bancada de deputados federais do PT afirmaram no início da noite desta segunda-feira (14) que o ex-presidente Lula aceitou ser ministro de Dilma Rousseff.O ex-presidente é esperado entre esta segunda e esta terça (15) em Brasília para se reunir com Dilma.

A notícia foi anunciada com euforia no gabinete da liderança do PT na Câmara. Os deputados, porém, só falaram na condição de terem os nomes mantidos em sigilo.Entre outros deputados, estavam reunidos no gabinete o líder do governo na Câmara, José Guimarães (CE), o líder da bancada, Afonso Florence (BA), e Paulo Pimenta (RS).

A pressão para Lula assumir um ministério cresceu após a manifestação recorde contra ele e Dilma neste domingo (13). Caso entre no ministério, que pode ser a Casa Civil, segundo deputados do PT, Lula ganha foro privilegiado no Supremo Tribunal Federal.

Lula exige conversa com Dilma e garantia de
mudança na política econômica

Ao ter conhecimento de que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) voltaria para o Palácio do Planalto, a presidente Dilma Rousseff (PT) mostrou-se "aliviada", segundo informa a coluna Painel, da Folha de S. Paulo. Segundo a publicação, estaria disposta a "entregar tudo e mais um pouco" para que ele socorra o Governo, afirmam assessores.

"Se tudo ruir, ao menos o projeto não morre só na mão dela", observa um ministro. Apesar disso, Lula impôs condições: só deve tomar posse depois de uma conversa franca nesta terça-feira (15) e com garantias de que a política econômica mudará.

O provável embarque de Lula deve provocar, num primeiro momento, uma inflexão à esquerda. O ex-presidente só vê alguma saída para a crise se reconectar Dilma com a base social do PT, que anda insatisfeita com a reforma da Previdência e com corte de gastos sociais.

Apesar das mudanças, Nelson Barbosa deve continuar à frente do Ministério da Fazenda, segundo a publicação. Já Ricardo Berzoini, que deve perder a Secretaria de Governo para Lula, pode ficar como secretário-executivo da pasta.

Ainda segundo a coluna, mesmo relutando em aceitar o convite de Dilma para integrar o Governo, na semana passada Lula trocou telefonemas com parlamentares para sondar a real situação do Congresso e verificar quais seriam seus focos mais emergenciais de atuação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário