sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

IVAN RODRIGUES diz que perda do JAZZ FESTIVAL está ligada a falta de RUMO E PLANEJAMENTO do governo Izaías Régis


Por Ivan Rodrigues
Advogado, um dos fundadores do PSB e
Assessor Especial do Governo de Pernambuco

Em plena véspera do Natal, leio estarrecido e triste, a notícia manchete dos jornais do dia, anunciando que o “FESTIVAL DE JAZZ SE MUDA PARA GRAVATÁ”. Enquanto Garanhuns perde, o Interventor/Prefeito de Gravatá anuncia jubiloso: “GANHAMOS UM PRESENTE DE NATAL”! 

Diante de tamanha barbaridade, chego a duvidar da notícia, mas a matéria publicada não deixa dúvidas quanto a sua autenticidade e importância, nem pode ser atribuída aos intolerantes (?) divergentes que militam em nossa amada terra.

Diz a publicação da capa 2 do Jornal do Comércio que: “ A Prefeitura de Gravatá não perdeu tempo. De olho no potencial turístico , econômico e cultural, vai abrigar o festival de jazz que a Prefeitura de Garanhuns resolveu cancelar, após sete edições de sucesso, durante o Carnaval”. 

Por mais extravagante que seja a triste notícia para Garanhuns, nada acontece por acaso e, como na fábula do jabuti, se aconteceu é porque alguém colocou o jabuti na árvore. Não é do meu feitio buscar culpados, mas alguém deve ser responsável pelo ocorrido. Consultei notícias anteriores que já corriam pelas redes sociais e pela imprensa prevendo o inacreditável desastre e começo a me convencer que, como a Pátria Brasileira, Garanhuns é um barco sem rumo, sem planejamento, sem programa e sempre sujeito à voluntariedade dos seus eventuais dirigentes.

A primeira página do Caderno C do Jornal do Comércio de sábado último (19/12) já decretava “GARANHUNS SEM FESTIVAL NO CARNAVAL”, por conta de uma infeliz decisão que não se sabe se foi do Prefeito ou se “foi tomada  de maneira coletiva por outras Secretarias envolvidas no planejamento” no dizer das declarações da Secretária de Turismo na aludida matéria. Na mesma declaração, a nossa querida Gerlane Melo (foto abaixo de óculos), em tentativa frustrada de absolver o seu chefe, faz uma estapafúrdia declaração: “A gente (as secretarias envolvidas) teve a sensibilidade da importância do evento, porém, com a crise econômica que todos os municípios estão passando, nós tínhamos que abrir mão de um dos grandes eventos que realizamos. E o resultado do levantamento nos trouxe os dados de que o JAZZ ERA O QUE TINHA O MAIOR CUSTO/BENEFÍCIO. Ele foi suspenso, mas deve ser retomado em 2017”.
.

Que levantamento foi esse, cara Gerlane, pois uma matéria de um ano atrás publicada na página oficial do Município, destaca o sucesso do Festival de Jazz daquele ano e o bom resultado econômico para Garanhuns. Pergunta-se, simplesmente, qual é a verdade: A DO ANO PASSADO OU A DE AGORA? 

Pela primeira vez, fala-se em dificuldade econômica do Governo Municipal e é importante a busca da verdade. Por uma questão de transparência, porque não divulgam os custos/benefício dos outros festivais citados? Será que não existiriam alternativas mais modestas que, sem interrupção, assegurassem a manutenção de um festival já consagrado e reconhecido no calendário nacional durante sete anos? Será que Garanhuns está em maior crise financeira do que Gravatá que acaba de sofrer uma intervenção e tem salários do funcionalismo atrasados? Qual a razão do tardio e decepcionante anúncio (à quarenta dias do seu início!) surpreendendo todos os agentes econômicos, empresariais, culturais e artísticos envolvidos? Como administrar o prejuízo inevitável dos hotéis, pousadas, bares, restaurantes, lojas e demais serviços que investiram na expectativa de um programado e exitoso festival? As aplicações de recursos nos Festivais (todos eles) são despesas ou investimentos? 

Como reconhecida profissional que é, cara Gerlane, sabe muito bem que a continuidade, persistência e constância são condições fundamentais para o desenvolvimento e consolidação de eventos desta natureza. Não pode negar que sua descontinuidade representa um prejuízo nunca mais recuperável. Qualquer planejador por mais primário que seja – e não é o seu caso, cara Gerlane - tem plena consciência de que não perdemos apenas uma um edição do Festival de Jazz, mas, com certeza, o Festival de Jazz de Garanhuns e todo o trabalho e esforço de sete longos anos dispendidos para sua consolidação. 

Sem derrotismos, vamos inventar outro, porque esse acabou melancolicamente... Temos a obrigação de sermos sinceros com a população e não ficar falando em 2017 !
.

APESAR DE MOVIMENTAR R$ 5 milhões de reais em quatro dias, “GARANHUNS JAZZ FESTIVAL não é viável na relação custo/benefício para cidade” diz governo municipal


Da redação do Blog
Imagens: Garanhuns Jazz Festival

Ainda repercute muito a não realização do Garanhuns Jazz Festival edição de número 9 em Garanhuns. A informação oficial que partiu da prefeitura para o evento não ocorrer em 2016 se ampara em uma pesquisa que demonstraria a relação de custo/benefício à cidade, maior em investimento, menor em retorno (caso do Jazz).

Apesar da informação repassada à imprensa e distribuída em geral à população, a edição de número 8, ocorrida ainda este ano, rendeu, segundo informações da própria Secretaria de Turismo municipal e ainda de acordo com a editora Fliporto, algo em torno de R$ 5 cinco milhões de reais ao município, algo que coloca em xeque o posicionamento seguido este ano pelo governo Izaías.

O levantamento de 2015 mostrou ainda que a ocupação nos meios de hospedagem, incluindo hotéis e pousadas, chegou aos 95% durante o evento. O setor de artesanato local, à época, teve um faturamento superior a 70%, se comparado a dias normais. Bares, restaurantes e similares, somados, conseguiram aumento de 40% na comercialização de seus produtos e prestação de serviços. Quanto ao público ele foi em média de 25 mil pessoas. Ocorrências policiais: quase não ocorreram. 

      Confira, abaixo, a matéria: BALANÇO ECONÔMICO DO OITAVO GARANHUNS JAZZ FESTIVAL É DIVULGADO. A publicação em questão foi realizada pela Secretaria de Comunicação do governo municipal de Garanhuns (Secom-PMG), após balanço realizado pela Secretaria de Turismo municipal e ainda de acordo com informações da Editora Fliporto durante o evento de 2015.


Com informações da Secom-PMG
          Texto: Cloves Teodorico
          Fotos: 
Renand Zovka e Verbo Assessoria

A Secretaria de Turismo de Garanhuns divulgou o balanço da oitava edição do Garanhuns Jazz Festival (GJF). O levantamento mostra que a ocupação nos meios de hospedagem, incluindo hotéis e pousadas, chegou aos 95% durante o evento. Consagrado no calendário do município, este ano, o festival também deixou bons números para o setor de artesanato local, que teve um faturamento 70% superior, se comparado a dias normais. Bares, restaurantes e similares, somados, conseguiram aumento de 40% na comercialização de seus produtos e prestação de serviços.

A Editora Fliporto também levantou alguns números sobre o GJF. Segundo a equipe, durante os quatro dias de festa, poucas ocorrências policiais foram registradas – sendo consideradas sem nenhuma gravidade ou prisão. A Polícia Militar calculou uma média de público presente de 25 mil pessoas. Sobre a satisfação do público, 99% considera o evento como ótimo ou bom. Em relação à movimentação financeira, a editora informou que o valor aproximado é de $ 5 milhões.

Numa realização da Prefeitura de Garanhuns, por meio das Secretarias de Cultura e Turismo, curadoria de Giovanni Papaléo Produções Musicais; produção da Mono; patrocínio do Serviço Social da Indústria (Sesi), Empresa de Turismo de Pernambuco (Empetur), Secretaria de Turismo do Estado de Pernambuco e apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), o Garanhuns Jazz Festival já gera expectativa para a próxima edição.
.

GOVERNADOR PAULO CÂMARA sanciona novo Plano de Cargos e Carreiras para Polícia Militar de Pernambuco


Sem palanque, nem anúncio oficial, o governador de Pernambuco, Paulo Câmara, decidiu sancionar lei complementar que garante um novo plano de cargos e carreiras para a Polícia Militar. As mudanças, publicadas no Diário Oficial dessa quinta-feira, atendem a pedido histórico da categoria. Vale lembrar que a greve da PM, em maio de 2014, só chegou ao fim porque, entre outros pontos, o Governo do Estado, prometeu rever a lei de promoções dadas à corporação.

A lei complementar prevê que a partir de 2018 ficará assegurada a promoção automática dos policiais militares pelo critério de antiguidade decenal, contabilizada a partir da data de ingresso na corporação.

Acompanhe as principais mudanças, válidas a partir de 6 de março de 2018:

1 – Para aqueles que ingressaram na carreira de Praças:
Graduação de Soldado, militar com menos de 10 anos;
Graduação de Cabo, militar com 10 anos e menos de 20 anos;
Graduação de 3º Sargento, militar com 20 anos e menos de 30 anos;
Graduação de 2º Sargento, militar com 30 anos ou mais

2 – Para aqueles que ingressaram na carreira de oficiais:
Posto de 1º Tenente, militar com menos de 10 anos;
Posto de Capitão, militar com 10 anos e menos de 20 anos;
Posto de Major, militar com 20 anos e menos de 30 anos;
Posto de Tenente Coronel, militar com 30 anos ou mais.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO: Notas do Enem 2016 serão divulgadas no dia 8 de janeiro


Com informações e arte da
Agência Brasil

Diante de centenas de apelos de estudantes feitos pelas redes sociais, o Ministério da Educação (MEC) comunicou que as notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) vão sair no dia 8 de janeiro.”Nós entendemos a ansiedade de vocês e não poderíamos passar o Natal sem divulgar a data do resultado do #‎Enem2015 !”, diz um “post presente” do MEC publicado nas páginas do ministério no Facebook e no twitter. “Aproveitem as festas, dia 8 de janeiro está logo ali”.

Além da seleção para vagas em instituições públicas, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu), com a nota do Enem, o estudante de baixa renda pode tentar uma vaga na educação superior por meio do programa Universidade para Todos (ProUni), que oferece bolsas de estudos em instituições particulares de educação superior.

O resultado do exame também é requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), participar do programa Ciência sem Fronteiras e ingressar em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Para pessoas maiores de 18 anos, o Enem pode ser usado ainda como certificação do ensino médio.

TODOS POR PERNAMBUCO: FEM termina ano de 2015 sem pendências nos repasses


Com informações da AMUPE
Associação Municipalista de Pernambuco

O ano de 2015 será encerrado sem nenhuma pendência relativa ao repasse de recursos do Fundo Estadual de Apoio ao Desenvolvimento Municipal (FEM). O anúncio foi feito pelo secretário de Planejamento e Gestão, Danilo Cabral, durante a última assembleia da Associação Municipalista de Pernambuco (Amupe), realizada em Afogados da Ingazeira, no Sertão do Pajeú, semana passada. Receberão os recursos as prefeituras que estão aptas, sem pendências nas prestações de contas.

“Essa foi uma determinação do governador Paulo Câmara para atender as demandas dos municípios, de preservar as parcerias com os municípios, mesmo nesse cenário de restrição financeira. Nós temos conhecimento que a maioria das prefeituras só tem feito investimentos graças ao FEM”, afirmou Danilo Cabral (foto abaixo). O secretário ressaltou que faz parte da estratégia do Governo do Estado a integração com os municípios.
.

O FEM já investiu R$ 337,3 milhões nos 184 municípios pernambucanos para a realização de 856 planos de trabalho. Em três anos de existência do Fundo, já foram entregues mais de 1,1 mil ruas pavimentadas, 77 praças, 52 unidades de saúde e 48 unidades escolares construídas ou reformadas, além de 10 matadouros públicos e oito mercados. As obras foram realizadas numa parceria entre o Governo do Estado e as prefeituras.

Na presença de cerca de 40 prefeitos, o secretário também apresentou um balanço sobre as principais ações do Governo do Estado em 2015 nas áreas de saúde, educação, segurança, infraestrutura e recursos hídricos. “Chegamos ao fim de um ano no qual Pernambuco tem o que celebrar. Estamos ainda numa situação confortável se comparada a outros Estados. Isso é fruto de um esforço do conjunto do Governo, que fez os ajustes necessários e realizou um investimento de mais de R$ 1 bilhão em 2015”, frisou.

Um dos principais assuntos do encontro foi a epidemia de aedes aegypti no Estado, especialmente com as infecções de zika, que provocam a microcefalia. Os prefeitos estão na expectativa da liberação dos recursos estaduais para a compensação para os municípios. “A partir da próxima segunda-feira, R$ 5 milhões já estarão disponíveis na Secretaria Estadual de Saúde para os municípios”, disse Danilo Cabral.

O secretário destacou que o Governo do Estado abriu um crédito extra no orçamento deste ano, no valor de R$ 25 milhões, para ações de enfrentamento à microcefalia. “Os recursos serão destinados à estruturação da rede de assistência médica, na mobilização, na compra de equipamentos e na comunicação”, elencou. Danilo Cabral lembrou que o número de casos de dengue no Estado aumentou em cinco vezes nos últimos meses – há o registro de 150 mil casos neste ano.

Durante a assembleia, os prefeitos também discutiram a municipalização da iluminação pública, licenciamento ambiental online, além de pensar em conjunto como planejar o calendário para 2016.