quarta-feira, 14 de outubro de 2015

AINDA PRETENDE DOAR: ao invés de filho, pai do vereador Gil PM será o beneficiado com terreno avaliado em mais de 1 milhão de reais


A polêmica está estabelecida e em Garanhuns a maior fatia da opinião pública parece reprovar o projeto do Governo Municipal de Garanhuns nº 089/2015 que previa doação de um terreno avaliado em mais de R$ 1 milhão de reais para o filho do vereador em Garanhuns, Givanildo da Silva de Lima, o popular Gil PM. Após uma grande repercussão o prefeito Izaías sinalizou seu recuo e tirou do plenário da Casa Raimundo de Moraes a sua chamada “palta bomba”; mas atentem porque agora ao invés do filho, o pai do vereador receberá o terreno.

Segundo informações do próprio vereador, a proposta inicial que contemplava seu filho, Glaydson Raphael Bezerra de Lima com terreno de 5 cinco mil metros quadrados localizado à Chácara Centenária será retirada de votação, sendo que, seu pai, Ivanildo Pintor será num segundo projeto, o novo beneficiado com a doação; lembrando que para ser aprovado o projeto precisa passar por votação nas comissões, seguindo então para apreciação em 1º e 2º turno no plenário da casa.

Durante a manhã de ontem terça-feira (13), Gil foi entrevistado, falando por quase 10 minutos com exclusividade ao Jornalista Carlos Eugênio. Na ocasião o parlamentar tentou isentar o prefeito Izaías por enviar à câmara um projeto mau concebido que pode levá-lo à incorrer no ato de improbidade administrativa, favorecimento político e dano ao erário público. Gil afirmou que Izaías teria enviado projeto com destinação do terreno à empresa GERALDO CABOCO DE LIMA ATELIE DE PINTURAS NORDESTINAS, coisa que não ficou comprovada e que foi contestada pela mensagem interna do governo municipal nº 056/2015, onde o prefeito pede aprovação da matéria em nome do filho do vereador. Gil não apresentou nenhum documento que desse base a sua fala e ainda durante a entrevista afirmou que a avaliação do terreno teria sido equivocada, colocando em xeque assim o trabalho da Secretaria da Fazenda do município, responsável pelo levantamento.

Durante a entrevista da terça, a atabalhoada posição do vereador não esclareceu questões cruciais como por exemplo: qual a necessidade de uma empresa que não emprega ninguém atualmente, ser contemplada com espaço tão amplo, cinco (5) mil metros quadrados? Uma segunda apontaria para: quais tem sido os critérios utilizados pelo governo municipal quando avalia e define empresas que receberão esse tipo de incentivo?

Já na manhã desta quarta-feira (14) foi a vez do programa "Arraiá do Gláucio Costa", comandado pelo radialista "Gláucio Costa", receber o vereador para maiores esclarecimentos. Mais uma vez ele trouxe fortes indícios de uma maneira equivocada de lidar com a máquina pública municipal. Segundo Gil existe uma dívida com seu pai no valor de pouco mais de R$ 200 mil reais contraída pelos gestores anteriores, Luiz Carlos de Oliveira e Silvino Andrade. Em razão dessa dívida ele teria buscado o atual prefeito Izaías para uma liquidação. Izaías teria alegado não ser possível realizar esse pagamento, uma vez a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) o impediria. Assim, segundo o vereador, a doação do terreno seria uma alternativa à essa questão, coisa que foi de imediato contestada pelo radialista Marcos Cardoso que também participava da entrevista. Marcos chegou a dizer que “a maneira como o prefeito Izaías Régis conduz esse tipo de doação é totalmente equivocada, sendo os terrenos negociados, ao invés de doados no sentido de incentivo a empresas geradoras de emprego”.

TERRENO DOADO NÃO FICA NA CÉLULA INDUSTRIAL 
EMPRESARIAL LOGÍSTICA AMPLIADA (CIELA)

A questão da localização do terreno é outra que não ficou esclarecida, pois segundo a própria prefeitura em recente matéria publicada em seu site institucional (confira aqui), o bairro Dom Hélder Câmara, conhecido popularmente como Cohab III seria a área escolhida para instalar as empresas, dentro do projeto que ficou conhecido como Célula Industrial Empresarial Logística Ampliada (Ciela).

Apesar disso o prefeito de Garanhuns Izaías Régis com o total aval do Secretário de Desenvolvimento Econômico Geandré Nogueira e da Procuradoria do Município, optou por outro ponto específico, conhecido como Loteamento Chácara Centenária, localizado próximo ao Santuário Mãe Rainha e que é bem melhor avaliado.

Segundo as informações de um outro documento que o blog do Gidi Santos teve acesso, intitulado de “CARTA DE INTENÇÃO-Célula Industrial de Garanhuns (anexa logo abaixo), fica claro que a doação deveria ocorrer junto ao lugar onde hoje conhecemos por CIELA, mas apesar disso o Loteamento Chácara Centenária, que não está no território da CIELA foi o escolhido.


        O vereador que se elegeu pela oposição ao prefeito Izaías se uniu ao governo já nos primeiros momentos, logo quando feito o primeiro convite. Hoje diante dessas e de outras polêmicas e denúncias o desgaste sofrido por ele frente a opinião pública é notório, sem falar na forte rejeição que o parlamentar enfrenta entre os vereadores governistas e oposicionistas. Há quem diga que até mesmo dentro do Governo Municipal o vereador não é bem visto.

          Para o caso da doação do terreno ao filho do vereador Gil, ele já está sendo chamado de "mensalão dos terrenos públicos de Garanhuns"

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir