quarta-feira, 23 de setembro de 2015

APERTANDO AS CONTAS: governador defende “PACTO DE GOVERNANÇA” e reduz gastos na ordem de 1,7 milhões na Secretaria de Administração


O governador Paulo Câmara aproveitou a presença de vários colegas gestores públicos estaduais no Congresso do Movimento Brasil Competitivo (MBC), ontem (22.09) à tarde, para defender um “pacto de governança” dos governadores para ajudar o País a recuperar a confiança dos investidores e superar a atual crise.

Paulo destacou as conquistas de Pernambuco nos últimos anos, afirmando que o Estado está no caminho certo, pois tem a confiança dos investidores que continuam anunciando novos empreendimentos em terras pernambucanas.

O governador pernambucano voltou a lembrar a situação atual do Brasil, que, na avaliação dele, passa por uma “recessão brutal” em 2015, e que caminha para repetir esse resultado negativo também em 2016. “Será a primeira vez que isso ocorrerá desde 1930, 1931, quando o mundo vinha da quebra de 1929 e o Brasil passou por uma revolução política”. Para Paulo, sem o resgate da confiança o País não vai superar os problemas econômicos.
Paulo Câmara defendeu Pacto de Governança no Congresso Brasil Competitivo.

SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DO ESTADO VAI
ECONOMIZAR 1,7 MILHÕES DE REAIS

A Secretaria de Administração tem dado muita atenção ao assunto contingenciamento. Só com a aplicação das ações da primeira fase do seu plano de contingenciamento, iniciada no mês de fevereiro do ano em curso, pretende economizar cerca de R$1,7 milhões em um ano. A SAD já iniciou a segunda fase do plano que vislumbra ainda mais economia aos cofres públicos. Até o fim do ano, novas ações estarão sendo planejadas.

       Para o Secretário de Administração, Milton Coelho (foto), a tarefa deve ser cumprida, porém com a tentativa de não prejudicar os serviços ofertados à população. “Precisamos economizar em tudo o que for possível, sermos criativos, convincentes e cautelosos, para tomarmos medidas que diminuam os gastos. É preciso fazer mais com menos”.

“Para cada corte de custo interno da Secretaria, foi elaborado um plano operativo que causasse o mínimo de impacto nos serviços oferecidos. Estamos realizando um acompanhamento mensal das metas para que tudo ocorra dentro da expectativa. E vem funcionando. O resultado está nos números”, garante o Secretário.

Para garantir a contenção de despesas, alguns contratos foram suprimidos sem que causasse muito impacto no nível dos serviços, outros foram repactuados para que não houvesse reajuste de valores. Houve a implantação de um planejamento de obediência quase que total ao PCG, como a redução de viagens, consumo de combustível, mudança do horário de expediente, redução no consumo de energia elétrica e de água, gerenciamento das despesas junto às concessionárias, além de várias medidas de categorização no setor de telefonia fixa e redução das franquias móveis, aplicando o sistema de controle.

Nenhum comentário:

Postar um comentário