terça-feira, 25 de agosto de 2015

PERNAMBUCO TERÁ PARADA GAY; será dia 20 de setembro em Recife


O Plenário da Assembleia Legislativa de Pernambuco sediou, nesta segunda (24), o ato de lançamento da 14ª Parada da Diversidade (popularmente conhecida como parada gay). A Reunião Solene foi promovida pela Comissão de Cidadania, em parceria com o Fórum de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (LGBT) de Pernambuco marcando ainda a abertura do Mês da Diversidade.

Realizada desde 2002, a Parada da Diversidade busca a mobilização política da população LGBT para a garantia de seus direitos, além da sensibilização de todos sobre questões ligadas ao segmento. Este ano, a manifestação ocorrerá dia 20 de setembro, com o tema “Você não está só: em nossa Família Liberdade é Direito”.

Presidindo a Mesa durante o ato, o 1º vice-presidente da Mesa Diretora, Augusto César (PTB), ressaltou que a decisão do Supremo Tribunal Federal que reconheceu, em 2011, o regime jurídico de união estável para casais do mesmo sexo não esgota as garantias da população LGBT. “Continuemos lutando contra o preconceito e pela igualdade de direitos”, instou.

O presidente da Comissão de Cidadania, Edilson Silva (PSOL) dedicou a solenidade à transexual Maria Clara de Sena, integrante do Mecanismo Estadual de Prevenção e Combate à Tortura de Pernambuco (MEPC-PE). Ela foi vítima de transfobia e ameaças de morte por um agente penitenciário durante visita, este mês, ao presídio de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste. “Com a mobilização da sociedade, vamos conseguir abrir mais espaços para debater o tema. Espero que no futuro tenhamos uma sociedade sem homofobia e com plenos direitos”, disse Edilson.

Deputado pelo PSOL, Edilson Silva é o presidente da Comissão de Cidadania.

Responsável pela organização da Parada da Diversidade, o Fórum LGBT foi representado pela presidente da Articulação e Movimento para Travestis e Transexuais de Pernambuco (Amotrans-PE),  Chopelly Santos Pereira. “Queremos um Estado laico, onde travestis e transexuais não sejam apontados na rua e não precisem entrar na justiça para obter direitos”, pontuou.

O ato contou com a participação das deputadas Teresa Leitão (PT) e Priscila Krause (DEM) e de representantes das Secretarias de Desenvolvimento Social, Criança e Juventude e da Secretaria Executiva de Direitos Humanos. Mais cedo, durante a Reunião Plenária, Edilson ressaltou que o Mês da Diversidade é um momento para reflexão sobre a importância da afirmação dos direitos para a população LGBT e o seu  acesso ao serviços públicos e à dignidade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário