terça-feira, 25 de julho de 2017

Governo Municipal de Garanhuns reforça apoio as ações do G20

Ao receber o grupo, no Palácio Celso Galvão, Secretário de Governo se mostrou aberto para 
articular encontros entre o G20 com diretores de autarquias e com secretários municipais.

Através de uma reunião realizada com Secretário de Governo, Articulação Política e Ouvidoria, Méwitton Araújo, realizada na última semana, o grupo representativo da sociedade civil, intitulado de G20, que vem realizando e propondo novas ações, dentre elas, algumas sociais, aqui na cidade, recebeu um reforço por parte do Governo Municipal de Garanhuns, para que iniciativas desenvolvidas por ele, possam se tornar mais constantes, além de também obterem um maior alcance aqui no município.

Ao receber o G20, no Palácio Celso Galvão, o Secretário de Governo se mostrou aberto para articular encontros entre os integrantes do grupo com diretores de autarquias, departamentos, bem como com secretários municipais. Os encontros, de acordo com o secretário, servirão de orientação para formatação de novos projetos, além de servirem como base, para na prática e em campo, a contar com a experiência desses servidores municipais, o G20 possa avançar, alcançando resultados antes não obtidos, tanto no quesito de participação, quanto na logística oferecida à população.

O G20 saiu da reunião ainda mais disposto a seguir com as intervenções que vem realizando aqui no município. De acordo com Ivan Águas, um dos membros do coletivo, o Governo de Garanhuns já se apresentava como parceiro, mas após a reunião com o Secretário de Governo, a tendência é que essa parceria só aumente. “Muito propositiva a reunião. O governo se mostrou disposto a intervir com mais serviços nas áreas em que estamos atuando. A boa recepção do grupo na secretaria de governo, faz com que daqui pra frente, esse apoio só aumente”, assegura Ivan. 
.

INFORME PUBLICITÁRIO
BLOG INDICA CASA PARA ALUGAR DURANTE O FIG
.

Você que vem para o 27º Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) e está procurando uma casa para se instalar, aproveite a oportunidade, e alugue uma residência confortável que fica nas imediações de dois polos do evento, um deles, o Instrumental, localizado no Parque Ruber Van Der Linden (Pau Pombo), e outro, sendo o maior deles, o Mestre Dominguinhos, que fica instalado na praça de mesmo nome.

A casa fica situada na travessa Antônio penante, centro da cidade e dispõe de três pisos; térreo e primeiro para acomodar os visitantes, e o segundo, com ampla vista da cidade, que pode ser utilizada como área de lazer. No térreo, há um quarto suíte.

Mais informações, você consegue com
André Santos, através do telefone: (87) 9.9811.3410
.

.

.

.

. 

.

Som na Rural conquista Garanhuns durante o Festival de Inverno

Esta é o segundo ano do espaço no FIG. Novidade em 2017 é que o ambiente 
agora conta com palco. (Do Portal Cultura PE / Fotos: Rodrigo Ramos).

Um dos principais movimentos de rua do Recife, o Som na Rural tem se consagrado também no Festival de Inverno de Garanhuns, conquistando cada vez mais espaço no roteiro do público. Pela segunda vez na programação do evento, o projeto foi responsável por atrair visitantes para o Parque Euclides Dourado, onde está localizado, nas noites do primeiro final de semana da edição deste ano. A novidade em 2017 é que o ambiente agora conta com palco, mas mantém a mesma proposta intimista de quando os artistas se apresentavam no chão, como aconteceu em sua estreia no FIG do ano passado.

Talvez por isso, o músico pernambucano Bruno Souto tenha optado pelo formato voz e guitarra para apresentar o repertório de baladas que levou uma plateia fiel para o polo ontem. O compositor abriu sua apresentação com a música “Saudades do Verão”, relembrando a banda Volver, com a qual iniciou a sua jornada artística, mas seguiu dando prioridade às canções de “Estado de Nuvem” e “Forte”, discos da carreira solo. Assim vieram títulos como “Repalho”, “Dentro” e “Desconserto” (grafada com “s” mesmo), sendo grande parte acompanhadas em coro pela público presente.

Porém, nem só de romantismo vive o intimismo e o Som na Rural surge como a atividade ideal para recriar esse conceito. Convidado para fechar o palco no último domingo, Graxa explorou o repertório dos discos “Molho” e “Aquele Disco Massa” trazendo a banda completa e garantindo a dose de rock de garagem para a noite. “Não alimente os animais”, “Marcha com as vadias” e “Gengibre” foram algumas das músicas executadas pela banda vigorosa, que mistura referências de grunge, stoner e noise. Apesar da estética sonora mais pesada, a conexão entre a banda e o público se manteve forte através da interação única que o polo proporciona ao colocar fãs e artistas no mesmo nível de diálogo.

”Gosto de tocar na Rural porque, além de trazer uma mistura do que está no mercado, acho o som bem estruturado e me interessa muito esse formato de palco mais próximo do público”, elogiou Graxa, que já havia se apresentou no Palco Pop do FIG em 2015 e retornou ao evento neste ano para tocar pela primeira vez no polo do Som na Rural. Além da DJ Cláudia Aires com seu repertório pop, a banda Diablo Angel completou a programação só de pernambucanos no domingo. A voz feminina competente da vocalista Kira Aderne, à frente da banda de hard rock, provocou curiosidade entre os visitantes do Parque Euclides Dourado, atraindo boa plateia desde o início da noite.
.

Casa Galeria Galpão está oferecendo diversas ações durante o FIG

Espaço reúne trabalhos de diferentes linguagens artísticas, instigando reflexões, interatividade 
e contemplação através das obras expostas. (Do Portal Cultura PE / Fotos: Fer Verícimo/Secult/PE).

Espaço de criação artística, debate, resistência e colaboração, a Casa Galeria Galpão abriu as portas no último domingo (23), trazendo para o 27º Festival de Inverno de Garanhuns mais de 10 exposições de linguagens variadas (fotografia, artes visuais, design, moda), além de intervenções, performances, debates, mostra de teatro e um mercado colaborativo, que está acontecendo pela primeira vez nesta edição.

“O Mercado UnaDesign é a novidade deste ano da Galeria e conta com 17 pequenos produtores de moda e design, que estão expondo e comercializando seus produtos. Idealizado pelas marcas Cirandela (estamparia autoral) e Aladê (camiseteria), o local vai promover Flash Days de tatoo com Marcelo Menezes, cortes de cabelo com Belle Souza, além da comercialização de objetos de decoração, acessórios e roupas”, explica a assessora de Design e Moda da Secult-PE, Janaína Branco.
.

A Casa Galeria Galpão está com quatro exposições de Artes Visuais, “Traços de um Rio”, de Artur Sgambatti e Vladimir Ospina, que registra, através de desenhos, a realidade dos atingidos pela derrubada da barragem do Fundão, em Mariana, no estado brasileiro de Minas Gerais. A obra recria um mapa dos locais por onde os artistas passaram após uma viagem de 20 dias e deu origem ao livro “Traços de Um Rio – Cadernos de Viagem”, que está sendo vendido na Praça da Palavra. Os artistas pretendem desenvolver ainda mais a obra, realizando um documentário sobre os efeitos da tragédia.

Nas Artes Visuais, também estão presentes a obra “Construção da Desconstrução”, de Daaniel Araújo, com obras feitas em óleo e acrílica sobre pedaços de madeira e concreto reaproveitados pelo artista; “Alinhavos”, de Joyce Torquato, que é uma artista de Garanhuns, com ilustrações feitas a partir de colagens e aquarela; “Parquê”, de Adah Lisboa, que questiona o que se generaliza como “bagunça” e “CALOR”, de Raoni Assis, um painel em grafite na entrada da Galeria.
.

Além das exposições, fazem parte das ações de Artes Visuais as performances Descamada, de Carol Azevedo, realizada na noite de abertura da casa propondo reflexões sobre corpo e gênero, a partir do rompimento com uma “segunda pele”, representada por uma meia calça que envolvia o corpo nu da artista; #Tecnologiaaservicodaorgia, de Kalor Pacheco, sobre a hipersexualização do corpo feminino, principalmente o de mulheres negras, que vai acontecer na sexta(28), às 18h30 e Distopia, das artistas Fernanda Fernandes, Carolina Perini e Raquel Abdian (Coletivo Espectro), que abordam, em três atos, os problemas da metrópole através da fusão de objetos, sons, ruídos, numa performance audiovisual em tempo real.

“Em parceria com o Sesc, também estamos trazendo para a Galeria Galpão o projeto Itinerância – Incerteza Viva, que faz parte da 32ª Bienal de São Paulo. O artista Bené Fonteles fará a série de debates Conversas para Adiar o Fim do Mundo, de segunda (24) a quinta (27), sempre às 17h, apresentando a construção do trabalho Ocataperaterreiro, além de fazer um bate-papo sobre a questão indígena e sobre a poesia, trazendo convidados como Adiel Luna e Bráulio Tavares”, explica o coordenador de Artes Visuais da Secult-PE, Márcio Almeida.
.

Fotografia – Ao todo, são quatro exposições de fotografia na Galeria, sendo uma delas da artista garanhuense Thayná Chaves. Ela apresenta “A Saga dos Invisíveis”, sobre moradores de rua e dependentes químicos. A expo “O Jogo da Bola em Garanhuns”, de Iezu Kaeru e Eustáquio Neves, traz o universo do futebol amador através de um olhar poético sobre as peladas e jogos de rua. Na sala da exposição, uma mesa de totó, o clássico futebol de mesa, convida o visitante a interagir. A mostra “Williamsburg: Paisagem em Transformação”, de Caique Cunha, traz uma série de fotos em preto e branco sobre o processo de gentrificação (enriquecimento de áreas pobres) no bairro de Williamsburg, da periferia de Nova York. “Comecei a perceber o movimento de expulsão das pessoas que viviam ali, as mudanças no dia a dia com a construção de prédios gigantes numa área onde basicamente não havia edifícios altos, lojas que fecharam.

Ao observar as imagens, ninguém iria associar a uma NY de 2017. Embora o ensaio seja ambientado em NY, percebo que esse é um processo que vem acontecendo em várias cidades brasileiras, como o Rio de Janeiro e o Recife, por exemplo”, explica o fotógrafo carioca Caique Cunha, que veio pela primeira vez ao Nordeste para expor no FIG. Completando a mostra de fotografia, a exposição “O Olho da Graxa”, de João Zarai, feita a partir de celular, aborda o mundo do Backstage, o trabalho dos profissionais que preparam o som para os espetáculos.
.

Teatro – A Galeria está recebendo pela segunda vez a Mostra de Teatro Alternativo, com espetáculos a partir das 22h, de segunda (24) a sábado (29). “A mostra teve início ano passado, quando alguns artistas que não entraram no circuito oficial do FIG se apresetaram em espaços alternativos. Esse ano, a iniciativa foi abraçada pela Fundarpe e teremos seis espetáculos”, explica o produtor da mostra, Ivo Barreto. As peças são “A Última Cólera no Corpo de Meu Negro” – Cia Experimental de Teatro (seg), “Eu Gosto Mesmo de Pezinho de Galinha Porque eu Como a Carninha e Limpo o Dente com a Unhinha” –  Experimento Pezinho de Galinha – (ter); “Que Muito Amou” – Cênicas Cia de Repertório – (qua); “Delicado” – Coletivo Grão Comum – (qui); “O Velho Diário da Insônia” – Grupo Independente de Teatro Alternativo – (sex) e “A Máquina” – Teatro de Retalhos  (sáb).

Segundo o coordenador de fotografia da Secult-PE, Jarbas Araújo, mais de 4 mil pessoas circularam pela Galeria Galpão na última edição e a expectativa é de que o público continue frequentando e participando das atividades desta grande instalação coletiva. “Sempre venho na Galeria porque é um local que nos deixa expressar o que sentimos, rolam muitas atividades interessantes aqui. Considero o espaço mais democrático do FIG”, afirmou a designer Sarah Barros, que estava presente na abertura da galeria.

Serviço:
Galeria Galpão
Av. Dantas Barreto, 34, Centro – Garanhuns
Horário de visitação: 16h às 21h, de 23 a 29 de julho
Mostra de Teatro Alternativo da Galeria: 22h
.

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Mais de 40 mil pessoas estiveram no show de Zeca Pagadinho

Além do sambista de Xerém, Ifá, Zé Brown e Donas levaram a riqueza da música negra ao palco da praça
Mestre Dominguinhos. (Do Portal Cultura PE – Fotos: Elimar Pereira/Caranguejo e Fer Verícimo.

Atração mais aguardada até o momento, Zeca Pagodinho trouxe a potência de seu samba para o Festival de Inverno de Garanhuns 2017 e fez todo mundo dançar no miudinho. No show da noite deste domingo (23), o cantor carioca, filho de Ogum, não tocou só os pés, mas o coração do público, falou de esperança, exaltou o samba de raiz e ainda fez poesia embalada pelo som de um time de bambas de primeira linha. Em mais de uma hora de apresentação, Zeca não economizou sucessos, para a alegria de quem não arredou o pé do palco Mestre Dominguinhos até ouvir o último som do cavaquinho.

A terceira noite de shows no maior palco do festival foi uma verdadeira mostra da pluralidade da música negra. Samba, Rap, Afrobeat deram o tom da festa, que agregou públicos diversos. Valorizar a produção da cultura negra tem sido uma característica marcante na programação do Festival nos últimos anos. Além dos polos segmentados como o de Cultura Popular Ariano Suassuna, o Festival tem proporcionado especial visibilidade para a produção cultural negra em todos os palcos que compõem a programação.

Sob a proteção de São Jorge, Zeca chegou em Garanhuns discreto, falou com poucas pessoas antes do show e preferiu se manter num ponto fixo do palco. A posição, no entanto, não impediu que logo se estabelecesse uma interação com a plateia, formada por jovens, crianças, mulheres e homens mais velhos, gente que veio de longe e de perto. Todo mundo estava lá para se apropriar da sua música preferida, do seu pedaço de Zeca. O repertório contemplou canções como “Judia de mim”, “Deixa a vida me levar”, “Vai vadiar”, “Vou botar teu nome na macumba” e “Incandeia”.
.

Antes do sambista se apresentar na quarta noite do FIG, Cafuringa e Banda, abriu os trabalho, registrando sua 15ª participação no Festival. Em seguida, após Zeca, o palco Dominguinhos deu passagem para o mix de Afrobeat com ritmos regionais, além de Funk e Soul, da banda Ifá. Foi a segunda vez do grupo baiano no Estado e todos pareciam bem empolgados com a participação no Festival. Isso ficou claro na fala do vocalista Fabrício Mota, que fez questão de exaltar a cultura pernambucana e o mestre Dominguinhos. “Estamos fazendo Afrobeat com o sentimento de amor que Dominguinhos ensinou para todos nós”, disse, arrancando os aplausos do público.

Desde 2013, o Ifá vem ganhando notoriedade no cenário não só nordestino, mas nacional. Formada por nove músicos de várias cidades da Bahia, o grupo surgiu com a proposta de fazer instrumental para todos os públicos. E conseguiu. Pelo menos foi o que deu pra perceber ao longo da apresentação dos instrumentistas no FIG 2017. Mesmo quem nunca nem ouviu falar de Fela Kuti, grande pai do Afrobeat, foi fisgado pela música preta em sua mais elevada potência. Sem dúvida, o Ifá protagonizou um dos momentos mais bonitos do palco Mestre Dominguinhos, instalada na praça de mesmo nome.
.

PE tem Rap - Pernambuco tem Rap e o FIG 2017 mostrou um pouco da riqueza da cena Hip Hop regional na terceira noite da programação do Palco Mestre Dominguinhos. A primeira atração, o grupo Donas, formado na capital do Estado há 13 anos, mostrou a força do rap feito pela mulher nordestina. Composto pelas MC’s Mariana MJ e Fabiana Rossini, Donas foi o primeiro grupo de rap feminino a subir no palco principal do Festival, que acontece há 27 anos. As letras das músicas são marcadas por mensagens de empoderamento feminino, de combate ao racismo e feminicídio.

A apresentação foi reforçada pelas participações especiais da poetiza Luna Vitrolira, a malabarista Yasmim Amaral e o poeta Tony Amaral. O MC pernambucano Tiger e DJ Dagga também integraram a performance do show, que deu espaço para o brega de Reginaldo Rossi com uma versão da música “Desterro”. “Estamos muito felizes por sermos as primeiras mulheres da cena rap pernambucana a subir no palco principal do Festival de Inverno de Garanhuns”, disse a MC Mariana, que não economizou nas palavras. As Donas mostraram que o rap pensado pela mulher, brasileira, em especial a nordestina amadureceu e não pede passagem. Ele invade e tá inventando seu próprio caminho.
.

Suelly Vaz expõe seu trabalho no Armazém de Arte e Negócios

Artista plástica garanhuense já expôs na Venezuela em duas ocasiões. Durante o FIG, 
além do Armazém, ela presenta suas telas no Instituto Histórico e Geográfico de Garanhuns.

Quem visita Garanhuns durante os dez dias em que acontece a 27ª edição do FIG, pode conferir no Parque Euclides Dourado, o Armazém de Arte e Negócios construído em parceria pelo Sebrae Pernambuco, com o Governo do Estado e a Prefeitura Municipal.

Por lá, ao alcance dos visitantes, estão 76 estandes, que exploram o artesanato, a gastronomia e exposições de artes visuais. O espaço, que representa o melhor da cultura local, oferece boas oportunidades de negócios, já que funciona como uma vitrine para expositores, ao receber um intenso volume de turistas, clientes e observadores das artes.

Dentre os estandes presentes neste ano de 2017 no Armazém, destacamos o Vituart Galeria, da artista plástica garanhunense, Suelly Vaz. No Box 10, onde fica o Vituart, Suely expõe seu trabalho, que é pintado em óleo sobre tela. As obras, que vão desde florais; passam por uma série de janelas e chegam até afrescos de lugares deslumbrantes - revelam um trabalho leve, harmônico e sensível. As cores pintadas pelos pinceis da artista, se confundem com avida real, já que na série de janelas, ela busca imprimir a condição de contemplarmos nossas "próprias e inúmeras existências".
. 

Suely começou a pintar há cerca de vinte anos, motivada pela mãe, a também artista plástica Dora Vaz. Dentre suas apresentações mais importantes, duas foram realizadas na Venezuela; uma na capital Bolivariana, Caracas, e outra na ilha Margarita, lugar paradisíaco daquele país. Também na Venezuela, em uma de suas passagens, Vaz aproveitou para aperfeiçoar sua técnicas de pintura. No coirmão país sul-americano, comandado por Nicolás Maduro, ela foi aluna do curso de Belas Artes, na Universidade de Juan Greco.

Quem for ao Estande Vituart Galeria, vai poder conferir obras contemporâneas, que rebuscam o passado - algo, que somente a arte, através da pintura consegue fazer majestosamente. O novo que sempre vem, tão cantado pelo homenageado do FIG deste ano, Belchior, se eterniza nas obras da artista - Juan Greco, pelo que vimos, fez muito bem as mãos e pinceladas de Suelly.

Além do estande no Armazém de Arte e Negócios do Sebrae, a artista ainda conta com uma exposição aberta ao público gratuitamente, na sede do Instituto Histórico e Geográfico de Garanhuns, que fica localizado na praça Dom Moura, número 44, centro da cidade. Lá, Suely apresenta uma série de retratos, através da exposição: “Artes Plásticas”, promovida em parceria com o pintor Jáder Cysneiros. Os visitantes, podem conferir as telas, das 9 as 18 horas, no período de 21 a 29 de julho. 

          Vale apena conferir!
.

Hard rock e Coco marcam a segunda-feira de Festival de Inverno

Hoje, quem abre os trabalhos no polo principal do evento, instalado na praça Mestre Dominguinhos, 
é banda garanhunense, formada ainda no ano de 2004, Still Living. Grupo MPB4 fecha a noite.

A segunda-feira do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG) está recheada de música, teatro, artes visuais e literatura. Como é tradição no FIG, uma banda de Garanhuns abre a noite no palco principal Mestre Dominguinhos. Nesta segunda-feira é a vez da banda garanhuense fundada em 2004, Still Living levar seu hard rock autoral para a praça.

Em seguida, o FIG dá espaço para o cantor, compositor e instrumentista Herbert Lucena, que transita entre o rock e referências regionais como o coco. No palco do FIG, ele apresenta um apanhado do repertório de seus três CDs lançados. Entre eles, o álbum “Não me peçam jamais que eu dê de graça tudo aquilo que eu tenho pra vender” (2011), com o qual conquistou três troféus no 23º Prêmio da Música Brasileira em 2012.

Depois de Herbert Lucena, o mestre Dominguinhos, falecido há quatro anos, é reverenciado no projeto especial Cantoria Agreste, que une os músicos Gennaro, João Netto, Marcelo Melo e Sérgio Andrade. Garanhuns é a terceira cidade a receber o show, que estreou recentemente em São Paulo e passou recentemente pelo Recife. 

A longa trajetória de quase 50 anos do grupo MPB4 (vídeo abaixo) encerra a noite com o show “O Sonho, a Vida, a Roda Viva”. A apresentação é baseada no CD homônimo, de canções inéditas, mas não vão faltar sucessos de ícones da música brasileira, como Noel Rosa e Chico Buarque, que serão cristalizados na voz do MPB4.

O Festival de Inverno de Garanhuns é realizado pelo Governo do Estado de Pernambuco, por meio da Secretaria de Cultura e da Fundarpe. O Evento, conta com a parceria da Prefeitura Municipal de Garanhuns e apoio da CEPE Editora, Sesc e Sebrae, além do Virtuosi e do Conservatório Pernambucano de Música.
.

Festival de Inverno é contemplado com a 13ª Mostra de Cinema

Entrada é gratuita e pode ser retirada uma hora antes da exibição de cada filme.
(Com informações de Daniela Batista e Cloves Teodorico/Secom/PMG Fotos: Camila Queiroz).

Mostrando a pluralidade de opções para diversão e formação cultural, o público que visita Garanhuns durante o 27º Festival de Inverno (FIG) também pode conferir o que a sétima arte tem a oferecer. A 13ª Mostra de Cinema está sendo exibida no Cine Eldorado, localizado na avenida Rui Barbosa, 1071, no bairro Heliópolis. A entrada é gratuita e pode ser retirada uma hora antes da exibição de cada filme. Nesta segunda (24), às 18h20, a série Giga, de Taciano Valério, será exibida durante a mostra. O produto audiovisual foi ambientado no agreste pernambucano e teve cenas filmadas em Garanhuns. Após a exibição, a equipe baterá um papo com o público sobre a produção do filme.

Segundo Milena Evangelista, coordenadora de Audiovisual da Secretaria Estadual de Cultura, cerca de 3 mil pessoas devem visitar o local durante o FIG. “Os filmes infanto-juvenis recebem um grande público e como já virou tradição, fizemos uma programação específica. Os filmes são sempre exibidos às 14h.  Além disso, temos a programação de filmes adultos e alguns são seguidos de debates com os cineastas”, explica a coordenadora, que ainda complementou sobre a sessão especial de filmes de horror, que será na próxima sexta-feira (28), dando assim encerramento à mostra.

O professor e pesquisador, Ivson Leon, de 23 anos de idade, foi assistir o longa-metragem “Joaquim”, no último sábado, dia 22 de julho, e pretende assistir a mais filmes.  “A iniciativa da Mostra é importante porque traz filmes nacionais que não têm a publicidade e a distribuição ideal, chegam ao grande público, não conseguindo competir no circuito comercial de cinema do Brasil. Os cineastas independentes do Brasil também são muito valorizados e, esse ano, especialmente os pernambucanos. É um respiro para quem gosta de assistir a bons filmes e como se não bastasse, é gratuito. Uma ótima alternativa do Festival de Inverno”, comentou o garanhuense.

                                           Clicando AQUI, você confere a programação
                                        completa da 13ª Mostra de Cinema do FIG 2017.
.

Diversidade cultural marca abertura do Palco Ariano Suassuna

Frevo, coco, maracatu, xaxado e ciranda foram algumas das expressões da cultura popular de 
Pernambuco presentes na abertura do palco.(Do Portal Cultura PE / Fotos: Jorge Farias/Secult/PE).

Xavana Celesnah - Nesta 27ª edição do Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), o Palco de Cultura Popular foi rebatizado e agora se chama Palco Cultura Popular Ariano Suassuna, em honra ao escritor que foi um dos grandes representantes e defensores da cultura popular nacional, além de ser um dos homenageados do FIG deste ano.

A abertura do palco aconteceu no último sábado (22), com atrações de diversos ritmos tradicionais da cultura local, como o frevo, o coco, o maracatu, o xaxado e a ciranda. Embora ditos da tradição, esses ritmos ganham nova vitalidade com nomes como Adiel Luna e Coco Camará, e Mestre Bi e a Ciranda Bela Rosa, ambos jovens músicos que trazem canções originais, fortalecendo a poesia vinda do passado.

Na tarde de abertura, passou pelo palco o projeto Flabelos Cantantes, encontro de Blocos Líricos que chegou à 8ª edição neste ano. A ciranda também teve seu momento com a apresentação do Mestre Bi e a Ciranda Bela Rosa, que tocaram pela primeira vez no festival multicultural. O jovem Mestre Bi, de apenas 28 anos, apresentou um repertório de músicas autorais e mostrou uma maturidade musical daquelas vistas em quem tem uma real imersão no universo dos mestres cirandeiros.

Quando o Xaxado Cabras de Lampião, de Serra Talhada daqui de Pernambuco, subiu ao palco, o público que lotava o espaço, ficou muito emocionado e apresentação mista de música, dança e teatro fez com que a plateia gritasse um uníssono “Fora Temer”, mostrando a identificação do povo do cangaço com a resistência. Encerrando as atrações do palco, Adiel Luna e Coco Camará fizeram um show marcante, encantando a plateia com boa parte das músicas do disco Coco de Roda (2010).
.

ATENÇÃO: Inscrições para o Fies começam nesta terça-feira (25)

No total, 75 mil novas vagas serão oferecidas aos estudantes que procuram financiamento. 
Relação dos candidatos pré-selecionados será divulgada no dia 31. (Agência Brasil).

A lista de instituições, assim como os cursos ofertados por meio do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) poderá ser consultada a partir desta segunda-feira (24), na página eletrônica do Fies Seleção. As inscrições para o segundo semestre de 2017 começam já na próxima terça-feira, dia 25 julho, e vão até sexta-feira (28) .

No total, 75 mil novas vagas serão oferecidas aos estudantes que procuram financiamento para cursar o ensino superior em instituições de ensino privadas. A relação dos candidatos pré-selecionados pelo Fies, será divulgada ainda neste mês de julho, mais precisamente no dia 31, quando também será aberta a lista de espera.

Apesar das mudanças anunciadas no início do mês no Fies para 2018, neste semestre continuam valendo as regras atuais. Poderão se inscrever os estudantes que tenham participado do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) com média das notas igual ou superior a 450 pontos e nota na redação superior a zero. O candidato também precisa ter renda familiar mensal bruta per capita de até três salários mínimos.

Os estudantes pré-selecionados deverão concluir a inscrição pelo Sistema Informatizado do Fies (SisFies), entre 1º de agosto e 8 de setembro. A partir de 2018, o Novo Fies, será dividido em três modalidades. No total, o programa vai garantir 310 mil vagas, sendo que 100 mil serão ofertadas para estudantes com renda familiar per capita de até três salários mínimos a juro zero, incidindo a correção monetária.
. 

109 VAGAS: TJPE abre inscrições para concurso nesta segunda

Cinco por cento das vagas serão destinadas a pessoas com deficiência e 20% para negros. Isenção da 
taxa de inscrição poderá ser solicitada entre segunda e quarta-feira (26). (Blog dos Concursos).

Serão abertas, nesta segunda-feira (24), as inscrições para o concurso do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE). O procedimento poderá ser feito até o próximo dia 24 de agosto, com taxa de R$ 55 para técnicos de nível médio (60 vagas) e R$ 63 para analistas de nível superior (49). Ao todo, serão ofertadas 109 vagas distribuídas em 15 polos do Estado. Os vencimentos variam de R$ 4.222,45 (médio) a R$ 5.502,12 (superior). Outras informações podem ser achadas no edital.

Previstas para 15 de outubro, as provas objetiva de múltipla escolha e discursiva para os cargos de técnico judiciário e oficial de justiça serão realizadas em turno distinto às do cargo de analista judiciário. Por se tratar de certame regionalizado, a prova deverá ser realizada no polo onde o candidato estiver concorrendo à vaga.

A prova objetiva de múltipla escolha terá 50 questões com caráter eliminatório e classificatório. Serão 25 questões de conhecimentos gerais – língua portuguesa, raciocínio lógico e legislação – e 25 de conhecimentos específicos de acordo com cada área. Será considerado aprovado na objetiva o candidato que alcançar no mínimo metade do total de pontos da prova, sem zerar nenhuma das disciplinas. Com relação às discursivas, serão corrigidos os textos até a classificação correspondente a cem vezes o número de vagas por cargo/função/polo. O candidato que não obtiver 60% do total de pontos será eliminado.

edital prevê funções para quem possui diplomas de ensino médio e médio técnico em Informática, Rede de Computadores, Manutenção e Suporte em Informática, Sistemas de Computação, Telecomunicações ou Sistema de Transmissão. Para ensino superior, nas especificas de Direito, Serviço Social, Pedagogia, Psicologia, Contabilidade, Informática e engenharias Física ou Mecânica com pós-graduação na área de Informática. 

Cinco por cento das vagas serão destinadas a pessoas com deficiência e 20% para negros. A isenção da taxa de inscrição poderá ser solicitada entre segunda e quarta-feira (26), no site www.ibfc.org.br.
.